A BANALIDADE DA FARSA: um Debate Sobre o Totalitarismo Midiático

outubro 21, 2017

A BANALIDADE DA FARSA: um Debate Sobre o Totalitarismo Midiático
por Sandro A. Miranda

Sustentabilidade e Democracia

1689212-william-bonner-apresentou-o-jornal-naci-950x0-2Foto:Jornal Nacional das Organizações Globo (reprodução da TV Globo).

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais.

Em 1997 o norte-americano Barry Levinson, o mesmo do maravilhoso “Rain Man”, dirigiu o polêmico filme “Wag The Dog”, literalmente “Balançar o Cachorro”, o qual foi traduzido para o Brasil como “Mera Coincidência. Estrelado pela dupla Dustin Hoffman e Robert De Niro, o eixo central do roteiro é a construção de um artifício para libertar o Presidente dos Estados Unidos de um escândalo sexual que assolava a companha às vésperas do pleito eleitoral.

Para enfrentar o problema Conrad “Connie” Bean (De Niro) entra em contato com o produtor de cinema Stanley Motss (Hoffman), para criar uma solução para a crise. Como estratégia, ambos produzem uma farsesca guerra contra a Albânia, país mediterrâneo que, na época, estava…

Ver o post original 1.253 mais palavras

Anúncios

A BANALIDADE DA FARSA: um Debate Sobre o Totalitarismo Midiático

outubro 21, 2017

A BANALIDADE DA FARSA: um Debate Sobre o Totalitarismo Midiático
por Sandro A. Miranda

Sustentabilidade e Democracia

1689212-william-bonner-apresentou-o-jornal-naci-950x0-2Foto:Jornal Nacional das Organizações Globo (reprodução da TV Globo).

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais.

Em 1997 o norte-americano Barry Levinson, o mesmo do maravilhoso “Rain Man”, dirigiu o polêmico filme “Wag The Dog”, literalmente “Balançar o Cachorro”, o qual foi traduzido para o Brasil como “Mera Coincidência. Estrelado pela dupla Dustin Hoffman e Robert De Niro, o eixo central do roteiro é a construção de um artifício para libertar o Presidente dos Estados Unidos de um escândalo sexual que assolava a companha às vésperas do pleito eleitoral.

Para enfrentar o problema Conrad “Connie” Bean (De Niro) entra em contato com o produtor de cinema Stanley Motss (Hoffman), para criar uma solução para a crise. Como estratégia, ambos produzem uma farsesca guerra contra a Albânia, país mediterrâneo que, na época, estava…

Ver o post original 1.253 mais palavras

La Terra è nelle nostri mani de Leonardo Boff

outubro 21, 2017

La Terra è nelle nostre mani Una nuova visione del pianeta e dell’umanità di Leonardo Boff
Publisher: Edizioni Terra Santa

Collection: Testimoni

Language: italian

Number of pages: 224

Format: Book

Year of publication 2017

ISBN: 978-88-6240-494-5

available immediately special offer from € 15.00 to € 12.75

Description
L’attuale situazione mondiale presenta una serie di crisi che mettono a rischio la continuità della nostra civiltà e perfino la sussistenza della vita sul pianeta. Tutti speriamo «che i dolori di questo tempo non siano i rantoli di una persona agonizzante, ma piuttosto le doglie del parto di un altro tipo di mondo che ci permetterà di continuare a vivere su questo piccolo e grazioso pianeta Terra».
Quali sono le alternative possibili all’attuale modello di sviluppo basato sul profitto e sullo sfruttamento illimitato delle risorse? Possiamo anticipare la grande crisi della Terra e trasformare una possibile tragedia in una nuova convivenza con la natura e tra i popoli?
Attraverso una teologia ecologica o “ecoteologia”, spesso ispirata dall’enciclica di papa Francesco Laudato si’, Leonardo Boff racconta la minaccia che grava sulla Terra e propone un cammino per evitare la nostra distruzione: cambiare modo di vivere e seguire la Natura, che ha sempre trovato una via d’uscita e di crescita. Attraverso una ricognizione documentata sull’evoluzione del cammino umano, un percorso accessibile che parte dal cuor
Franciscan Printing Press

Leonardo Boff

Saiu pelas Edições  Terra Santa da Italia meu livro  “A Terra está em nossas mãos: uma nova visão do planeta e da humanidade”. Aqui foi publicado pela Editora Record do Rio de Janeiro. Publico aqui a apresentação italiana com o comentário que acompanha o livro

lbof

Edizioni Terra Santa

La Terra è nelle nostre mani Una nuova visione del pianeta e dell’umanità di Leonardo Boff

Publisher: Edizioni Terra Santa

Collection: Testimoni

Language: italian

Number of pages: 224

Format: Book

Year of publication 2017

ISBN: 978-88-6240-494-5

available immediatelyspecial offer from € 15.00 to € 12.75

Description

L’attuale situazione mondiale presenta una serie di crisi che mettono a rischio la continuità della nostra civiltà e perfino la sussistenza della vita sul pianeta. Tutti speriamo «che i dolori di questo tempo non siano i rantoli di una persona agonizzante, ma piuttosto le doglie del parto di un altro tipo di mondo che ci permetterà di…

Ver o post original 120 mais palavras

Sei em quem NÃO vou votar em 2018: R. Malvezzi – L.Boff

outubro 20, 2017

Compartilhando da página do Leonardo Boff: “Aqui publico um texto que vai ao encontro ao que penso e também vou fazer com referência às eleições gerais de 2018.
Roberto Malvezzi (Gogó) é um dos melhores conhecedores das questões do semi-árido e das águas no mundo e em nosso país.
Vive na região das secas ajudando o povo a subsistir, a manter viva a esperança, a adaptar-se àquele eco-sistema e encontrar tecnologias sociais que favorecem à essa adaptação e formas de aproveitamento de toda biodiversidade existente na região.
Une luta com estudo, compromisso apaixonado pelos sofredores com uma visão espiritual do mundo.
Apenas acrescento algo ao texto dele, que surgiu depois que tinha sido elaborado: a reintrodução da permissividade com relação ao trabalho escravo, conseguida nas negocições espúrias do Presidente Temer com o agro-negócio para garantir votos na Câmara dos Deputados a fim de sustar o processo contra Temer junto ao STF.
Vale divulgar esse texto corajoso e comprometido com a democracia e contra todo tipo de corrupção.” (L. Boff)

Leonardo Boff

Aqui publico um texto que vai ao encontro ao que  penso e também vou fazer com referência às eleições gerais de 2018. Roberto Malvezzi (Gogó) é um dos melhores conhecedores das questões do semi-árido e das águas no mundo e em nosso país. Vive na região das secas ajudando o povo a subsistir, a manter viva a esperança, a adaptar-se àquele eco-sistema e encontrar tecnologias sociais que favorecem à essa adaptação e formas de aproveitamento de toda biodiversidade existenten na região. Une luta com estudo, compromisso apaixonado pelos sofredores com uma visão espiritual do mundo. Apenas acrescento algo ao texto dele que surgiu depois que tinha sido elaborado: a reintrodução da permissividade com relação ao trabalho escravo, conseguida nas negocições espúrias do Presidente Temer com o agro-negócio para garantir votos na Câmara  dos Deputados a fim  de sustar o processo contra Temer junto ao STF. Vale divulgar  esse texto corajoso…

Ver o post original 546 mais palavras

A força dos pequenos: a Teologia da Libertação

outubro 20, 2017

A força dos pequenos: a Teologia da Libertação

Leonardo Boff

 Sempre que se celebra um Foro Social Mundial, três dias antes, acontece também um Foro Mundial da Teologia da Libertação. Participam mais de duas mil pessoas de todos os Continentes (Coreia do Sul, vários países de Africa, dos EUA, da Europa e de toda a América Latina) que praticam em seus trabalhos este tipo de teologia. Ela implica sempre ter um pé na realidade da pobreza e da miséria e outro pé na reflexão teológica e pastoral. Sem esse casamento não existe Teologia da Libertação que mereça esse nome.

De tempos em tempos, fazemos nossas avaliações. A pergunta primeira é: como está o Reino de Deus  aqui em nossa realidade contraditória? Onde estão os sinais do Reino em nosso Continente, mas também na China, na África crucificada, especialmente no meio dos pequenos de nossos países? Perguntar pelo Reino não é perguntar como está a Igreja, mas como vai o…

Ver o post original 621 mais palavras

outubro 19, 2017

Não me espanta que este energúmeno conhecido como “padre Marcelo” declare que não goste de gatos; o que me espantaria seria se ele dissesse que gosta! Os gatos representam perfeitamente o espírito de independência e autonomia, diferentemente dos cães, que representam a atitude servil daqueles que obedecem cegamente os seus mestres. Por isto mesmo, a maioria das pessoas (que são, no fundo, autoritárias e conservadoras; e as pessoas religiosas são um dos melhores exemplo disso!!!) gostam de cães, mas poucas gostam de gatos. Somente pessoas com espírito livre, autônomo e democrático amam os gatos, porque são como eles. Por isto mesmo, no passado (e até hoje!!!), as pessoas que gostavam de gatos eram consideradas bruxas e feiticeiros (não sem razão; para as religiões institucionalizadas, estas pessoas que não dobram seus joelhos e dizem amém pra tudo – como eu – são realmente proscritas e mereciam queimar nas fogueiras da Inquisição). Eu também adoro cães, por sua simpatia e alegria, mas tenho especial carinho pelos gatos. Viva a autonomia, a independência e a liberdade de pensar e ser como você quiser. À merda as grandes corporações e instituições (religiosas ou não) que querem domesticar e aprisionar os indivíduos em suas prisões mentais e emocionais!!! LIBERDADE SEMPRE!!!

outubro 19, 2017

“Si la Verdad es imposible, que la autenticidad sea tu meta.” – Alejandro Jodorowsky

Insensibilidade e desumanidade

outubro 19, 2017
Quem perdeu a capacidade de se solidarizar e sentir empatia por outros seres sencientes (que têm sentimentos e capacidade de entendimento), já perdeu a maior parte de sua humanidade e daquilo que uma pessoa pode ter de melhor: compaixão, afeto e consciência. 

A TRISTE TRAGÉDIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

outubro 19, 2017

“A TRISTE TRAGÉDIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL”

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais

Muitos explicam o “boom” econômico dos “Tigres Asiáticos”, entre os anos de 1970 e 1990, pelo seu investimento em educação. O certo é que muitos países aumentaram a sua qualidade de vida e saíram de guerras civis e condições de miserabilidade tendo a educação como prioridade. Tendo a educação tratada como solução, como investimento, e não como problema ou “gasto”.

A educação pública, gratuita, universal e de qualidade é uma das promessas do Iluminismo, uma das bandeiras da Revolução Francesa e um sonho daqueles que acreditam em um futuro mais justo. Nenhum país abandonou a pobreza discriminando professores e desmantelando os seus sistemas de ensino. Investir em educação é um avanço civilizatório, um mecanismo de fortalecimento da cidadania.
(Continua; clique no linque para continuar lendo)

Sustentabilidade e Democracia

blender-tutorial-stone-brick-wall-youtube_black-and-white-stone-walls_home-decor_home-depot-christmas-decorations-nicole-miller-decor-fleur-de-lis-primitive-ideas-fabric-decorating-decorFoto: Muro de pedra, alusão à música Another Brick in The Wall, da banda britânica Pink Floyd.

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais

Muitos explicam o “boom” econômico dos “Tigres Asiáticos”, entre os anos de 1970 e 1990, pelo seu investimento em educação. O certo é que muitos países aumentaram a sua qualidade de vida e saíram de guerras civis e condições de miserabilidade tendo a educação como prioridade. Tendo a educação tratada como solução, como investimento, e não como problema ou “gasto”.

A educação pública, gratuita, universal e de qualidade é uma das promessas do Iluminismo, uma das bandeiras da Revolução Francesa e um sonho daqueles que acreditam em um futuro mais justo. Nenhum país abandonou a pobreza discriminando professores e desmantelando os seus sistemas de ensino. Investir em educação é um avanço civilizatório, um…

Ver o post original 642 mais palavras

Pessoas que prendem pássaros em gaiolas tinham que viver presas também …

outubro 15, 2017

03-630x597.pngPessoas que prendem pássaros em gaiolas tinham que viver presas também em jaulas, para ver se isso é bom ou gostoso. Não poder andar, não poder se movimentar muito, perderem sua liberdade! Só assim talvez elas compreendessem a dimensão da maldade criminosa que elas praticam contra os pobres animais, QUE NASCERAM PARA VOAR LIVRES PELOS CÉUS! Gente ruim, maldita e desgraçada!