Tentativa de condenação de um homem honrado e justo: Gilberto Carvalho

setembro 21, 2017

Leonardo Boff: Tentativa de condenação de um homem honrado e justo: Gilberto Carvalho.

Leonardo Boff

No dia 19 de setembro o juiz Vallisney Oliveira da 10.Vara Federal de Brasília acatou a denúncia do Ministério Público Federal contra o ex-Presidente Lula e Gilberto Carvalho por ter pretendido ver indícios de corrupção passiva sob a alegação de que teriam recebido a propina de 6 milhões de reais ao PT para reeditar a Medida Provisória 471 de 2009 que estendia benefícios fiscais a montadores do setor automobilistico no Centro-Oeste e Nordeste.

Curiosamente esta Medida Provisória tem como autor o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso do ano de 1999, relatada na Câmara por José Carlos Aleluia (DEM) e no Senado por César Borges (PFL). Ela foi aprovada por todos os partidos. O sentido era descentralizar a produção de automóveis e criar grande número de empregos. Efetivamente entre 2002-2013 o número de postos de trabalho passou de 291.244 para 532.364.

A prorrogação desta MP 471 por Lula tinha o sentido de…

Ver o post original 538 mais palavras

Anúncios

Feto de 90 dias é abatido em matadouro brasileiro; aluna conta episódio

setembro 20, 2017

TODO ESTE HORROR E MATANÇA DESUMANA DE CRIATURAS PURAS E INOCENTES PARA SACIAR O INSENSÍVEL E CRUEL APETITE DE SANGUE DOS CARNÍVOROS “HUMANOS” (DESUMANOS, ISTO SIM!)!

“Foi a pior cena que vi em toda minha vida” – relatou uma estudante de medicina veterinária após presenciar o abate de uma vaca grávida e seu feto de cerca de 90 dias, em um matadouro do Nordeste. Entrevistada pelo O Holocausto Animal ontem (terça-feira), a aluna terá a identidade preservada, para fins de privacidade e segurança.

Como parte da grade curricular, ela e sua turma foram visitar um frigorífico, com o objetivo de conhecer a rotina de um médico veterinário nesse tipo de local. “A veterinária [responsável por guiar os alunos] nos dizia o tempo todo que a morte dos animais era humanizada e que eles não sentiam dor no abate”, conta.

De acordo com a estudante, ao chegarem no “corredor da morte”, onde os animais seguem para o tiro de pistola pneumática que os derruba, as vacas “berram incansavelmente” e “tentam voltar”.

“Entramos no ‘campo de sangue’… É sangue pra todo lado e um barulho que incomoda demais. Acompanhei tudo, mas muitos passaram mal e saíram”, disse a estudante.

A aluna ainda alegou que uma das vacas recebeu o tiro da pistola e imediatamente foi içada e cortada “se mexendo”.

Abate de vaca grávida

Continuando com a visita guiada, a próxima cena mexeu com o “estômago” da estudante de veterinária. “Caiu da barriga de uma vaca um bezerro com cerca de 90 dias de idade”, afirmou.

“Foi a pior cena que vi em toda a minha vida… Tão pequeno e tão indefeso, não teve nem a oportunidade de nascer”, disse.

Quando questionada, a veterinária responsável respondeu que “até seis meses [de gestação] o abate é permitido”.

“Fiquei abismada… Foi sinistro. Saí de lá cheia de sangue”, finalizou.

O Holocausto Animal

Prática é comum e ocorre frequentemente nos matadouros espalhados pelo mundo.

Ver o post original 283 mais palavras

“Cura gay”, “cura afro-religiosa”, “cura inadaptados”… cuidado!

setembro 20, 2017

Os fascistas sempre querem “curar” o que eles acham que “não está direito” (na real, o que não é branco, cristão, patriarcal, capitalista e imperialista). Estes conservadores reacionários, em sua ignorância alienada ultrapassada, são incapazes de perceber que o verdadeiro câncer que mata a humanidade é a sua intolerância e falta de empatia, fraternidade e solidariedade em relação a quem é diferente deles, em relação a todxs!

Liminar bane provas de rodeio em Lagoinha

setembro 20, 2017

Notícia na página “Holocausto Animal”: Em liminar acatada ontem (18), o TJ do Estado de São Paulo proibiu o uso “de todo e qualquer subterfúgio capaz de provocar nos animais sofrimento atroz e desnecessário” na 1ª Expo Rural Haras Santa Rita da Bela Vista, marcada para o próximo dia 21 (quinta-feira), em Lagoinha (SP).

Na prática, a decisão inviabiliza a realização de provas tradicionais do rodeio, pois dependem de sédens, esporas e choques elétricos. A juíza Ana Letícia Oliveira Santos alega que a crueldade é “vedada” pela Constituição Federal, impedindo também a prática da vaquejada.

Em caso de descumprimento, os organizadores do evento devem pagar multa de 1 mil reais por infração.

O Holocausto Animal

Pedido foi acatado pela Justiça.

Ver o post original 107 mais palavras

Pesquisadora critica uso de animais em experimentos

setembro 20, 2017

Entrevistada pelo O Holocausto Animal em 20 de agosto deste ano, na cidade de Indaiatuba (SP), a filósofa Dr. phil. Sônia T. Felipe, pós-doutora em Ética Animal pela Universidade de Lisboa e autora do livro “Ética e Experimentação Animal: Fundamentos Abolicionistas”, defendeu o fim do uso de animais no ensino e na pesquisa.

De acordo com a pesquisadora, é contraproducente extrapolar dados de uma espécie para outra. “É uma fraude prometer cura de doenças humanas por meio de pesquisas em ratos. Cada organismo é único”, alegou.

Sônia também cita o exemplo da Aids, à qual primatas são usados com “modelos” para a doença, mesmo sem desenvolvê-la. No caso do câncer, os resultados desanimadores obtidos em camundongos não impediram a continuidade da experimentação em animais. Um dos motivos disso, afirmou Sônia, é que determinado princípio ativo testado para barrar o crescimento de células tumorais pode se mostrar promissor para outros problemas, como, por exemplo, ter emagrecido os animais usados, tornando-se candidato ao tratamento da obesidade.

“Se eles pararem, também perdem o financiamento”, disse.

Uso em cursos de psicologia

A escritora criticou o uso de animais em cursos de psicologia, na famosa “caixa de Skinner”, onde os ratos devem pressionar uma barra para obter uma gota de água por vez. Ela sustentou que isso “tira do animal os seus direitos fundamentais”.

Skinner (1904-1990), psicólogo norte-americano, desenvolveu a “caixa” para a construção de alguns conceitos teóricos em meados do século passado, entretanto, as experiências são repetidas até hoje nas faculdades brasileiras, mesmo com a existência de modelos virtuais que simulam o comportamento do rato.

Para Sônia T. Felipe, as pesquisas de privação realizadas na psicologia, apesar de aparentemente inofensivas fisicamente, “cortam o psiquismo dos animais, interrompendo suas interações existentes no seu ambiente natural”.

O Holocausto Animal

Para Dra. Sônia T. Felipe, testes em animais devem ser abolidos.

Ver o post original 305 mais palavras

Até 87,5% da pesquisa biomédica é ineficaz, diz cientista

setembro 15, 2017

Importante matéria publicada na página “Holocausto Animal”?
Em uma conferência realizada no dia 29 de julho de 2016, pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA (NIH), o cientista Dr. Michael Bracken afirmou que até 87,5% da pesquisa biomédica é ineficaz e, portanto, desperdiçada. “É mais do que gasto de dinheiro e recursos, pode ser prejudicial para a saúde das pessoas”, disse.

Bracken, que é professor da Escola de Saúde Pública da Universidade de Yale, alertou que existem estudos sendo replicados desnecessariamente e também conclusões exageradas de “novas descobertas” – nesse último caso, quando os experimentos são reproduzidos em pesquisas maiores, o valor preditivo dos resultados pode diminuir em até 90%.

Para cada 100 projetos de pesquisa, 50 tem resultados publicados – destes, metade possui falhas significativas, tornando os resultados pouco confiáveis. Dos 25 restantes, metade é redundante ou desnecessária. “É assim que você chega a 12,5%”, afirmou Bracken.

Testes em animais

A situação é mais crítica em relação aos experimentos feitos em animais. Bracken explicou que, nesses casos, poucos estudos são randomizados ou cegos. Por conta disso, ele considera que as pesquisas com animais têm uma metodologia atrasada em 40 anos se comparada com estudos clínicos em humanos.

“Nunca existe justificativa para o uso de animais ou seres humanos em estudos mal concebidos”, alegou.

O Holocausto Animal

Situação é especialmente crítica quando trata-se de testes em animais.

Ver o post original 206 mais palavras

Eu sou tão contra a censura quanto sou contra a zoofilia e a pedofilia

setembro 12, 2017

Tenho que confessar que me sinto algo desconfortável nesta questão da exposição censurada do Santander, porque, de forma inédita, vejo-me em um lado oposto ao de muitos amigos meus. Então, por favor, permitam-me esclarecer alguns pontos sobre isso:

Primeiro: confesso não estar por dentro de todos os detalhes da questão. Eu soube deste caso através da página do site Holocausto Animal, uma importante referência na defesa dos direitos dos animais. Através de sua página, soube que a Luísa Mell, uma outra referência fundamental na luta pelos direitos dos animais aqui no Brasil, e uma pessoa que muito admiro e respeito, denunciou obras que parecem incentivar a zoofilia. Luísa também falou que algumas obras poderiam ser associadas à pedofilia. Volto a confessar que não sei detalhes sobre o caso, mas que confio na Luísa e em seu respeitável e admirável histórico de luta para defender os animais em nosso país.

Segundo: meus amigos sabem que sou Anarquista, Libertário, portanto, sou contra qualquer tipo de opressão e censura. No entanto, é preciso fazer uma ressalva. Eu sou tão contra censura, quanto sou contra zoofilia e pedofilia. Não penso que, em nome da liberdade, vale tudo. Há que ser razoável! Pode valer tudo, eventualmente, entre pessoas adultas e em pleno poder de suas faculdades mentais, que escolham aquilo que lhes parecer conveniente e agradável, DESDE QUE NÃO FIRA OS DIREITOS DE TERCEIROS, ESPECIALMENTE DE INOCENTES E VULNERÁVEIS, como animais e crianças. A tentativa de se associar a ideologia ácrata e libertária do Anarquismo a um “vale-tudo” sem noção, onde não há lei nem ordem, é uma velha tática de guerra das classes conservadoras e reacionárias para caluniar os libertários e deturpar a nossa mensagem de Liberdade, Igualdade e Fraternidade. É importante relembrar os três componentes do lema. Não é só Liberdade. É preciso que existam também Igualdade e Fraternidade. E estes dois elementos, evidentemente, pressupõem e postulam o respeito ao Outro, quem quer que seja; adulto, criança ou uma criatura senciente de outra espécie. De outro modo, a ideia de que “vale tudo”, sem censura, acaba gerando uma nova forma de OPRESSÃO, do pior tipo, a de inocentes!

Por fim, admito que posso vir a descobrir posteriormente que estou equivocado, e que as obras e a exposição não incentivam ou glamorizam a zoofilia e a pedofilia. Imagino que muitos amigos meus já estarão em vias de tentar me convencer disso e, certamente, poderei mudar de ideia perante argumentos sensatos. Mas, por ora, prefiro a possibilidade de estar errado defendendo os direitos de animais e crianças, do que simplesmente gritar contra a censura – como sempre fiz durante toda minha vida! – sem considerar a vulnerabilidade dos inocentes.

Técnico de laboratório espanca beagle: ‘Estou sem paciência’

setembro 12, 2017

Por isso é fundamental gravarmos o que se passa nestes locais terríveis (laboratórios, circos, zoos e, principalmente, abatedouros) para denunciarmos e conscientizarmos o público das horríveis maldades e injustiças sofridas por criaturas inocentes, vítimas dos seres que chamam a si mesmos de “humanos”…

Em 1997, com uma câmera escondida, a ONG BUAV se infiltrou no laboratório Huntingdon Life Sciences, na unidade do Reino Unido. Os investigadores filmaram os técnicos agredindo verbal e fisicamente os beagles.

“Hoje estou sem paciência”, disse um dos funcionários após desferir socos no rosto de um beagle puxado pelo pescoço. O técnico também afirmou que “toda vez é assim [cães agitados]… estou realmente bravo com você”.

As imagens foram transmitidas no “Canal 4”, na reportagem “It’s A Dog’s Life“. Depois da exibição, três funcionários foram demitidos e processados por crueldade animal. Todos foram condenados.

O Holocausto Animal

Episódio ocorreu em 1997 no Reino Unido.

Ver o post original 106 mais palavras

Destruidores da liberdade de seres inocentes

setembro 10, 2017

Vocês podem me dizer que tipo de pessoa prende passarinhos numa gaiola, destruindo a liberdade de seres inocentes, que não cometeram nenhum mal para merecer isso? E estes estúpidos insanos ainda querem enganar a si mesmos, acreditando que “estão fazendo o bem para os pobres animais”! Pergunte a estas pessoas se elas querem passar a vida presas. Não! Mas quanto aos pobres pássaros – animais que NASCERAM PARA VOAR! – eles dizem que é bom ficarem presos numa gaiola, ao invés de poderem voar livres na Natureza.

Eu sei que é possível explicar e classificar a horrível personalidade distorcida destas pessoas através de uma análise psicológica ou conscienciológica, mas eu só consigo achar palavras terríveis e impublicáveis, para definir estes destruidores da liberdade de seres inocentes.

Janot entra com ação para derrubar emenda da vaquejada

setembro 9, 2017

VIVA JANOT !! Na última terça-feira (5), o procurador-geral da República entrou com uma ação direta de inconstitucionalidade no STF para que a emenda que tentava liberar a vaquejada seja derrubada.

De acordo com Rodrigo Janot, a prática é “incompatível com a ordem constitucional”. Ele argumenta que a Emenda 96, aprovada pelo Congresso em junho, “colide na raiz com as normas constitucionais de proteção ao ambiente”.

“A crueldade intrínseca a determinada atividade não desaparece nem deixa de ser ética e juridicamente relevante pelo fato de uma norma jurídica a rotular como ‘manifestação cultural’”, alega.

O Holocausto Animal

Emenda que tentava liberar a vaquejada pode cair.

Ver o post original 109 mais palavras