Archive for novembro \29\UTC 2016

Somos todos “CHAPE”!

novembro 29, 2016

Seja como fã de esportes, apaixonado por futebol, seja como radialista e comunicador, estou em luto, arrasado com a tragédia da queda do avião que levava o time da Chapecoense e tantos colegas jornalistas e radialistas. Numa hora destas, faltam palavras para descrever a tristeza e desconsolo de todos nós, fãs do esporte, profissionais da comunicação e brasileiros em geral. Tristeza, silêncio e luto.

A tolice das análises econômicas atuais

novembro 23, 2016

Compartilhando mais um ótimo artigo do Leonardo Boff​:”Sigo com atenção as análises econômicas que se fazem no Brasil e pelo mundo afora. Com raras e boas exceções, a grande maioria dos analistas são reféns do pensamento único neoliberal mundializado. Raramente fazem uma auto-crítica que rompa a lógica do sistema produtivista, consumista, individualista e anti-ecológico. E aqui vejo um grande risco seja para biocapacidade do planeta Terra seja para a subsistência da nossa espécie. O título do livro de Jessé Souza “A tolice da inteligência brasileira”(2015) inspirou o título de minha reflexão: “A tolice das análises econômicas atuais”. (continua; clique no link aqui para ler mais)

Leonardo Boff

Sigo com atenção as análises econômicas que se fazem no Brasil e pelo mundo afora. Com raras e boas exceções, a grande maioria dos analistas são reféns do pensamento único neoliberal mundializado. Raramente fazem uma auto-crítica que rompa a lógica do sistema produtivista, consumista, individualista e anti-ecológico. E aqui vejo um grande risco seja para biocapacidade do planeta Terra seja para a subsistência da nossa espécie. O título do livro de Jessé Souza “A tolice da inteligência brasileira”(2015) impirou o título de minha reflexão: “A tolice das análises econômicas atuais”.

Meu sentido do mundo me diz que se não tomarmos absolutamente a sério dois fatores fundamentais, podemos conhecer cataclismas ecológico-sociais de dimensões dantescas: o fator ecológico, de teor mais objetivo e o resgate da razão sensível de viés mais subjetivo.

Quanto ao fator ecológico: em sua grande maioria a macroeconomia ainda alimenta a falsa ilusão…

Ver o post original 604 mais palavras

Aos 89 anos, morre o Irmão Antônio Cechin, o profeta dos catadores

novembro 16, 2016

UMA NOTÍCIA MUITO TRISTE SOBRE UMA PERDA IMENSA! O fundador da CPT-RS (Comissão Pastoral da Terra do Rio Grande do Sul), Antônio Cechin, morreu aos 89 anos nesta quarta-feira (16). Nascido em Santa Maria/RS, no dia no dia 17 de junho de 1927, ele foi Irmão Marista, militante dos movimentos sociais. Também foi fundador da Pastoral da Ecologia, da ONG Caminho das Águas, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), criador da Romaria da Terra e da Romaria das Águas, idealizador da missa em honra a Sepé Tiaraju. Ele estava internado no Hospital São Lucas da PUCRS, onde se recuperava de uma fratura na bacia.
O velório de Antônio Cechin foi realizado nesta quarta (16), às 13h, na Capela dos Maristas em Viamão, próximo ao Posto da Polícia Rodoviária Federal na RS 040.
Em janeiro de 2013, o Irmão concedeu uma entrevista ao Sul21, que mantem plena atualidade.Reprisada em Sul 21 de 16/11/2016. (Clique no link para ler a matéria na íntegra)

Leonardo Boff

O Irmão Antônio Cechin é uma referência no Brasil, especialmente n Rio Grande do Sul e em Porto Alegre. Há muitos anos o conheço e visitei o trabalho que fazia com os catadores de materiais recicláveis na cidade de Porto Alegre, cujo centro se encontrava numa das ilhas do Guaiba. Participou como fundador dos principais movimentos sociais e era grande animador das Comunidades Eclesiais de Base. De sólida formação acadêmica, estudou em Paria e trabalhou por anos em Roma. Mas fez uma decidida opção pelos pobres. Durante o regime militar foi preso por duas vezes e na última barbaramente torturado, especialmente fazendo experiências na cabeça. Refeito, continuou o seu trabalho junto com sua irmã Mathilde até o fim. Ainda nos dias 4,5,6 no novembro estivemos juntos num encontro com o grupo Emaus em Correias, Petrópolis. Já víamos os limites de sua saúde. Era uma pessoa de virtudes eminentes. Não tenho…

Ver o post original 4.008 mais palavras

O Papa Francisco e os movimentos sociais em Roma: J.P.Stedile

novembro 15, 2016

Compartilhando do Leonardo Boff​: Nem todos podem ler tudo o que se publica sobre determinado tema relevante. É uma inovação na tradição pontifícia aquilo que o Papa Francisco está fazendo: convocando os movimentos sociais mundiais para ouvir deles como interpretam os sofrimentos que padecem sob regimes de alta exploração do trabalho e da natureza. Não chama renomados sociólogos e politólogos que analiticamente mostram a lógica de como as coisas hoje funcionam com a plena liberdade dos mercados e a desenfreada circulação dos capitais especulativos pelas bolsas do mundo inteiro. Essa lógica tem produzido imensa riqueza em poucas mãos e grande pobreza e exclusão nas grandes maiorias. É importante ouvir a voz destas vítimas já que ninguém as ouve e lhes dá importância. Oferecemos aqui um resumo dos encontros já ocorridos do Papa com os movimentos, por uma liderança brasileira, do Movimento Sem Terra (MST), João Pedro Stédile. A exposição é objetiva e passa as principais informações para saber a quantas anda a discussão mundial sobre questões que afetam milhões e milhões de pessoas. A matéria saiu em CARTA MAIOR 14/11/2016:

Leonardo Boff

Nem todos podem ler tudo o que se publica sobre determinado tema relevante. É uma inovação na tradição pontifícia aquilo que o Papa Francisco está fazendo:  convocando os movimentos sociais mundiais para ouvir deles como interpretam os sofrimentos que padecem sob regimes de alta exploração do trabalho e da natureza. Não chama renomados sociólogos e politólogos que analiticamente mostram a lógica de como  as coisas hoje funcionam com a plena liberdade dos mercados e a desenfreada circulação dos capitais especulativos pelas bolsas do mundo inteiro. Essa lógica tem produzido imensa riqueza em poucas mãos e grande pobreza e exclusão nas grandes maiorias. É importante ouvir a voz destas vítimas já que ninguém as ouve e lhes dá importância. Oferecemos aqui um resumo dos encontros já ocorridos do Papa com os movimentos, por uma liderança brasileira, do Movimento Sem Terra (MST), João Pedro Stédile. A exposição é objetiva e passa as…

Ver o post original 1.119 mais palavras

Francisco é mais que um nome, é um projeto de mundo e de Igreja

novembro 15, 2016

Francisco é mais que um nome, é um projeto de mundo e de Igreja

Leonardo Boff

leonardo-boff

Ver o post original

Crucifiquem este maldito COMUNISTA!

novembro 14, 2016
Solidariedade? Fraternidade? Igualdade? Comunhão e divisão de bens igualmente por todos? Sai pra lá! Vamos crucificar este maldito COMUNISTA! rs… 😉
Pois é… como eu costumo dizer, provocando (sem querer) a raiva de uns tantos quantos por aí, a verdade é a seguinte, queridos e queridas: o termo “Direita Cristã” é uma contradição em termos, uma aberração paradoxal. É impossível defender conceitos “de Direita”, como exclusão, segregação, exploração dos mais fracos, “meritocracia” (isto é, na realidade, a defesa dos privilégios de quem já nasceu privilegiado), elitismo, etc, e querer dizer-se seguidor(a) de Jesus Cristo ao mesmo tempo. Isto é absolutamente impossível, porque tudo que Jesus veio afirmar e nos relembrar (ele também não foi o primeiro), são conceitos que – desculpem novamente a dura realidade! – são “de Esquerda”: Solidariedade, Fraternidade, Igualdade, Comunhão e divisão de bens igualmente por todos. Queiram os egoístas ou não, é impossível esconder ou distorcer a realidade! O Eterno Mestre Jesus era COMUNISTA, na real acepção desta palavra (de Comum, de Comunhão), não como sinônimo do termo “marxista-leninista”, não venham confundir estes termos, por ignorância, desinformação ou deturpação maliciosa. 

Como explicar a vitória de Trump e a derrota de Hillary: Naomi Klein

novembro 12, 2016

Como explicar a vitória de Trump e a derrota de Hillary: Naomi Klein

Leonardo Boff

 Se há uma pessoa que se coloca claramente do lado das vítimas do atual sistema financeiro mundial e que tem autoridade e credibilidade esta é seguramente a jornalista e ativista canadense Naomi Klein. Sem complicados argumentos nos oferece as razões pelas quais Donald Trump venceu as eleições presidenciais nos USA e porque Hillary Clinton, por alegadas razões, perdeu apesar de todo o apoio   do establishment norte-americano e mundial. Sua análise confirma aquela que publiquei neste blog sob o título:Hillary e Trump:entre o pior e o ruim. O momento  atual com repercussões mundiais merece reflexão. Por isso é recomendável ler várias interpretações a partir de distintos pontos de vista para termos uma leitura mais adequada da história que nos toca viver nos próximos anos. O artigo de Noemi Klein foi publicado em Outras Palavras de 10/11/2016 e reproduzido por IHU de 11/11/2016:  LBoff
*********************************

Eis o artigo.

Eles…

Ver o post original 897 mais palavras

Trump e Hillary entre o ruim e o pior

novembro 10, 2016

Do Leonardo Boff: “Em todo o mundo estão se fazendo as mais desencontradas análises sobre o significado da vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais dos EUA com os mais diferentes titulares.
O mais significativo para mim foi o do senador chileno Alejandro Navarro: “Triunfo de Donald Trump es un castigo a los gobiernos del establishment”.
O senador faz uma crítica mais geral, válida também para nós, que governos progressistas chegando ao poder, acabam, sob pressão da macroeconomia globalizada, fazendo políticas claramente neoliberais com prejuízo para as classes mais vulneráveis.
Parece-me justa a interpretação de Navarro: “o castigo aos governos do establishment, reside no fato de que a população se cansou de entregar-lhe o poder a quem somente oferece mais do mesmo. O eleitores optaram por Donald Trump, que embora represente o pior da cultura yankee, também soube representar o fastio dos setores precarizados com o neoliberalismo, a globalização e os empregos precarizados”.” (continua; clique no link aqui para ler o texto inteiro)

Leonardo Boff

Em todo o mundo estão se fazendo as mais desencontradas análises sobre o significado da vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais dos EUA com os mais diferentes titulares.

O mais significativo para mim foi o do senador chileno Alejandro Navarro: “Triunfo de Donald Trump es un castigo a los gobiernos del establishment”.

O senador faz uma crítica mais geral, válida também para nós, que governos progressista chegando ao poder, acabam, sob pressão da macroeconomia globlizada, fazendo políticas claramente neoliberais com prejuízo para as classes mais vulneráveis.

Parece-me justa a interpretação de Navarro: “o castigo aos governos do establishment, reside no fato de que a população se cansou de entregar-lhe o poder a quem somente oferece mais do mesmo. O eleitores optaram por Donald Trump, que embora represente o pior da cultura yankee, também soube representar o fastio dos setores precarizados com o neoliberalismo, a globalização e os empregos…

Ver o post original 485 mais palavras

Vitória do atraso e da ignorância

novembro 9, 2016

Trump foi eleito pelos caipiras broncos e primitivos que abundam nos EUA; o mesmo tipo de tipo de gente ignorante e atrasada que vota em populistas e direitistas reacionários como Boçalnaro aqui no BR. Coitados dos esclarecidos, cultos e cosmopolitas californianos e nova-iorquinos, entre outros, que vão sofrer com este presidente ensandecido e ególatra! Minha solidariedade aos amigos estadunidenses progressistas!

305 etnias e 274 línguas: estudo revela riqueza cultural entre índios no Brasil

novembro 8, 2016

Precisamos ainda aprender a valorizar e preservar muito mais a imensa riqueza cultural dos povos nativos do Brasil!

Pesquisa inédita do IBGE detalhou características de povos indígenas brasileiros
Há mais indígenas em São Paulo do que no Pará ou no Maranhão. O número de indígenas que moram em áreas urbanas brasileiras está diminuindo, mas crescendo em aldeias e no campo. O percentual de índios que falam uma língua nativa é seis vezes maior entre os que moram em terras indígenas do que entre os que vivem em cidades.

As conclusões integram o mais detalhado estudo já feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre os povos indígenas brasileiros, baseado no Censo de 2010 e lançado nesta semana.

Segundo o instituto, há cerca de 900 mil índios no Brasil, que se dividem entre 305 etnias e falam ao menos 274 línguas. Os dados fazem do Brasil um dos países com maior diversidade sociocultural do planeta. Em comparação, em todo o continente europeu, há cerca de 140 línguas autóctones, segundo um estudo publicado em 2011 pelo Instituto de História Europeia.

No “Caderno Temático: Populações Indígenas”, o IBGE faz um mapeamento inédito sobre a localização desses povos e sua movimentação ao longo das últimas décadas.

Ecologia dos Saberes

Pesquisa inédita do IBGE detalhou características de povos indígenas brasileiros

Há mais indígenas em São Paulo do que no Pará ou no Maranhão. O número de indígenas que moram em áreas urbanas brasileiras está diminuindo, mas crescendo em aldeias e no campo. O percentual de índios que falam uma língua nativa é seis vezes maior entre os que moram em terras indígenas do que entre os que vivem em cidades.

As conclusões integram o mais detalhado estudo já feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre os povos indígenas brasileiros, baseado no Censo de 2010 e lançado nesta semana.

Segundo o instituto, há cerca de 900 mil índios no Brasil, que se dividem entre 305 etnias e falam ao menos 274 línguas. Os dados fazem do Brasil um dos países com maior diversidade sociocultural do planeta. Em comparação, em todo o continente europeu, há cerca de 140 línguas…

Ver o post original 773 mais palavras