Archive for março \30\UTC 2011

Retransmitindo texto do meu amigo Chico Lobo: PRECONCEITO RELIGIOSO, ETICA, HUMANISMO E RESPONSABILIDADE Especial para meus amigos Murilo Dias Cesar, Suzeley Kalil Mathias e Valderez Lourdes Miotto por Chico Lobo – 04.03.11 Existem no mundo milhares de religiões, seitas e segmentos ditos “espirituais”. Todos eles garantem para si e para o mundo serem a única salvação para a humanidade. Nao é preciso relembrar mais uma que que historicamente e de forma corriqueira os grupos religiosos de modo geral provocam sangrentas guerras, genocídios e atentados em nome e de sua fé e em defesa de seus deuses. – Milhares de vidas humanas foram sacrificadas em nome de um deus que chamam de pai criador. Porém. os cristãos tem sua particularidade. Formam a das maiores correntes de “pensamento” religioso no mundo e dominam a totalidade das riquezas materiais do planeta. – Estranho fato, principalmente ao levar-se em conta que seu messias pregava a simplicidade e o desapego material quando vivo. – No entanto o grande mal dos cristãos é a convicção que este tem em pensar que pelo simples fato de ser “cristão” lhe confere direitos de conceitualizar outras pessoas como indignas espiritualmente, relegadas ao inferno por não aceitar o seu messias e até desqualificadas no caráter e comportamento social. Se por um lado os religiosos, aqueles que tem convicções em seus respectivos deuses destruem-se entre si na disputa do poder hegemônico de sua religião, o que torna ainda mais cruel, desumano e doloroso é saber que quando se trata em fortalecer o preconceito contra aqueles que não confessa a nenhum deus, estes religiosos se unem fervorosamente contra o ateu, ou seja: o cidadão pode ter diferenças religiosas gritantes e até semelhantes com outro crente, desde que confesse acreditar num deus, seja ele qual for, mas se por acaso este cidadão não acreditar em nenhum deus ou conceito dogmático, este será execrado. mal falado e preconceituado por toda a sociedade. É como se ser ateu fosse um atestado de má conduta, má índole, maus princípios. E na verdade é exatamente o oposto o que ocorre já a muito constatado. – Ser crente num deus, ter uma religião ou acreditar num dogma dito “espiritual” não atesta idoneidade a ninguém, alias, muito pelo contrário; a ampla maioria dos crimes contra a humanidade foram efetuados por seguidoras de religiões, seitas e dogmas, e mais ainda em nome dessa religião ou em defesa de seus respectivos deuses. Cientistas , filósofos e ateus nunca participaram ou compactuaram com nenhum crime contra a humanidade em nome de seus conceitos. Não´são casos isolados em que trabalhadores são sutilmente dispensados ou não contratados por saberem que estes são ateus… Casamentos são impedidos por famílias, convivio sociais são desfeitos pelo mesmo motivo. Uma forma sutil de fomentar o preconceito. Nos tribulais, nas reparticões públicas e até nas escolas do estado são ostentados simbolos religiosos como se a sociedade enteira tivesse obrigação de devotar tais símbolos. Nomes de logradouros públicos com temáticas religiosas e até feriados ditos “santos” são incorporados ao calendário obrigando a sociedade a cumprir ou deixar de produzir em nome dessa “religiosidade” imposta verticalmente pelo estado. – Ora, nos vivemos num estado laico. Para alguns pode significar que o cidadão pode ter e seguir qualquer conceito religioso ou dogmático, mas na verdade o laicismo garante direitos cidadãos também para aqueles que são séticos, ateus ou que não acreditam em nada fantasioso, lendário ou dogmático. Na verdade, o que o ser humano precisa de fato é seguir três princípios básicos que garantem a ele um conceito elevado de existência, e são eles: 1 – A ÉTICA, de define conceitos de correto comportamento social, justiça e responsabilidade cidadã para com a sociedade na qual vive e a relação que tem com todos os demais semelhantes (e diferentes). 2 – O HUMANISMO, que responde com a solidariedade humana, a caridade, a tolerância para com os diferentes, o convívio harmonioso, a filosofia da paz em todas as esferas. 3 – A RESPONSABILIDADE que recai sobre os atos individuais e coletivos, o respeito para com a natureza, animais, vegetais e minerais, a responsabilidade do meio ambiente que garante a permanência da humanidade neste planeta, a consciência em saber que este mundo não é nosso pelo fato de termos comprado com dinheiro o “nosso” pedaço de chão, mas sim de todas as gerações que virão. Esses três conceitos, aprende-se no convívio sadio desde nossa infância e não necessariamente da boca dos sacerdotes ou na crença em algum fantasioso dogma religioso. A ampla maioria dos ateus que conheço particularmente já seguem esses princípios e não precisaram de livros ditos “sagrados” para ser correto em suas ações. Ter bons princípios não depende de crer ou não em deuses, de ter ou não religião, de freqüentar ou não templos, de pagar ou não dízimos como quem paga uma multa para livrar-se das culpas de sua consciência ou comprar com dinheiro os favores ditos “divinos”. Não estou pregando contra nenhuma religião, apenas defendo o direito de ser respeitado pela sociedade por conta de minha NÃO CRENÇA nos dogmas alheios assim como eu respeito as crianças por acreditarem no papai noel ou pessoas que repetem versos diante de um altar. A humanidade inteira será muito mais feliz no dia em seus deuses servirem apenas de “relíquias” arqueológicas de um passado quando seres humanos ainda se matavam e exploravam a ignorância alheia em nome deles. Chico Lobo

março 30, 2011

Adeus, Vice-Presidente José Alencar! O Brasil perdeu um grande homem, uma figura pública honrada e valorosa, mais uma daquelas pessoas raras que fará muitíssima falta ao nosso país! Enquanto isso, figuras grotescas como um Jair Bolsonaro continuam vivas e empesteando o cenário político nacional…lamentável!!! Isto mostra que a vida não tem mesmo sentido…

março 30, 2011