Um diagnóstico preciso e irretocável da situação de violência social em que o pobre Rio de Janeiro anda mergulhado pelo grande Paulo Lins!

fevereiro 8, 2018

Outro assunto que não tive tempo de comentar nos últimos dias, em que estive distante da internet/redes sociais por excesso de trabalho, foram os tristes acontecimentos recentes na Cidade de Deus e também em outras localidades do Estado do rio.

Como não pude escrever, vou aproveitar e deixar vocês lerem (quem ainda não leu; quem já leu deve aproveitar pra repetir a leitura e refletir!) com as palavras certeiras de outro Paulo escritor, este aqui muito mais competente e gabaritado do que eu para fazer um diagnóstico preciso e irretocável da situação de violência social em que o pobre Rio de Janeiro anda mergulhado: o grande Paulo Lins! Leiam e meditem!!!

“Escrevi “Cidade de Deus” em 1997. O livro tem uma parte de ficção, mas é muito fruto de uma pesquisa de iniciação científica coordenada pela antropóloga Alba Zaluar (“Crime e criminalidade nas classes populares”), da qual participei durante minha graduação em Letras. Morei na Cidade de Deus por 30 anos, dos 6 aos 36, e conto a história da comunidade (um recorte entre os anos 1960 e 1993), que, na verdade, é a história do Brasil. Saí de lá há quase 30 anos, e depois disso voltei poucas vezes para encontrar meus amigos. Mas muitos já se mudaram ou morreram, não tenho mais motivação para voltar lá. Se escrevesse o livro hoje, teria que fazer uma nova pesquisa, entrevistar gente ligada ao crime, não sei como está a cabeça das pessoas hoje. E não tenho vontade de fazer isso.

Mas ainda tenho esperança de que as coisas mudem. Se a gente perder a esperança, a gente para de lutar. É importante que sejam implantadas mais políticas de inclusão, que as pessoas deem mais valor à simplicidade, que a sociedade se ajude e seja mais solidária. A mudança depende de todos nós, seres humanos, que estamos em situação privilegiada. Podemos dar mais amor, mais carinho. Pode parecer piegas, mas venho da favela é sei o que é isso, o ódio que existe entre raças, entra as classes sociais. Muita gente odeia pobre, é racista e contribui para essa violência. Não é só a fome.

A Cidade de Deus é um reflexo do Brasil. A violência que acontece lá agora é a mesma que acontece na Rocinha, em São Gonçalo, em Fortaleza, na Bahia. Não culpo o tráfico de drogas pela violência. Há tráfico em Berlim, em Paris, em Madri, em Londres, em Barcelona e Estocolmo… Etc. Nessas cidades, não tem essa violência toda. A questão é o que leva uma pessoa a botar a mão numa arma e confrontar a polícia. Se não fosse o tráfico, seria assalto, sequestro, o confronto existiria por outro motivo. A motivação é a necessidade de viver num país capitalista neoliberal, sem ter dinheiro e sem ter como ganhá-lo de forma justa e compensatória. Muito trabalhador passar fome junto com sua família. Por isso todos os direitos sociais deveriam ser expansionistas.

O cara não vira traficante porque quer. A vocação do ser humano é ser médico, advogado, professor, trabalhador bem remunerado, morar bem e não viver na favela com fome, sem dinheiro, com lixo para todo lado, estudar numa escola horrível, sem assistência médica. É isso que causa violência. E é fácil de resolver, através de educação de qualidade, assistência social, distribuição de renda. Mas não há vontade política. O Brasil está desgovernado, corrompido em todos os setores. A maioria dos políticos é bandida. Eu sinto pelo povo que vive nas comunidades, em sua maioria, negro, mestiço, nordestino migrado, vitimado.”

*Paulo Lins é escritor e ex-morador da Cidade de Deus

Anúncios

Botando os textos em dia…

fevereiro 8, 2018

Andei alguns dias longe da internet/redes sociais por excesso de trabalho e por ter operado a vista (foi tudo muito bem; obrigado pela torcida positiva!).

Por causa disso, acabei deixando de comentar alguns fatos relevantes dos últimos dias. Porém, eu queria, ao menos, escrever sobre alguns deles.

Primeiro, para lamentar a morte de um grande brasileiro: o jornalista e advogado Carlos Alberto Caó! Um dos mais combativos militantes do movimento negro, Caó foi o autor do texto que mudou a lei Afonso Arinos, de 1951, tornando crime o preconceito  de raça, cor, sexo e estado civil. O povo brasileiro, especialmente os afro-brasileiros, serão eternamente devedores de Caó, de sua luta e suas conquistas. Eu fui um de seus eleitores em 1982, quando elegeu-se deputado federal pelo PDT (o bom e confiável PDT da época de seu criador, Leonel Brizola; não este fantasma do velho partido que anda se arrastando por aí em negociatas vergonhosas!). Vibrei junto com as vitórias de Caó e do movimento negro brasileiro que, apesar disso, ainda tem tanto trabalho por fazer e muitas outras conquistas a realizar.

Em segundo lugar, para comentar o esculacho da “Justiça” acrescentando mais um (01) mês à pena de Lula na condenação da Lava-Jato. É como diz o povo: “pra eles não basta castigar, tem que esculachar…” Depois de mais de meio século de Brasil, eu confesso que ainda consigo me impressionar com o ódio que a “elite” (elite DE MERDA!) – ou melhor, elite coisa nenhuma!, quero dizer, que os endinheirados e privilegiados sentem por Lula e pelos pobres. Deve ser pelo medo terrível que eles têm de algum dia ter que sentir na pele o que vivem aqueles que eles exploram sem a mínima crise de consciência. Ou pelo medo da Justiça (essa, sim, com J maiúsculo) que pode demorar, mas será feita afinal! Além do fato de que eles não irão carregar nenhum dinheiro e ouro para debaixo da terra, onde servirão de refeição para os vermes, tal como todo e qualquer um de nós, mortais, ainda terão seus nomes amaldiçoados pela eternidade por todos aqueles que eles escravizaram e exploraram sem dó, e sua reputação será devidamente tripudiada e enlameada e suas covas serão devidamente escarradas e mijadas por todos nós, os trabalhadores, O POVO!

O último assunto sobre o qual não tive tempo de escrever, me é tão doloroso comentar (ainda estou chorando internamente e sofrendo profundamente, quando penso e me lembro de tanto sofrimento!), que vou passar a bola adiante, utilizando para me expressar, das certíssimas palavras da Cora Ronai – uma das poucas jornalistas na imprensa brasileira a ter a sensibilidade [e a decência!] de também se importar com os outros animais não-humanos e com os seus DIREITOS, tão válidos quanto os Direitos dos humanos, visto que os outros animais sencientes são, tal qual os humanos, possuidores de sentimentos e alta capacidade de entendimento, fato mais do que comprovado e divulgado pela Ciência atual. Segue aí abaixo o ótimo texto da Cora, escrito em sua coluna no jornal O Globo hoje (08/2/18):

“Enquanto isso, 25 mil bois brasileiros têm pela frente duas semanas de tortura em alto-mar, antes de encontrar a morte na Turquia. Cobertos de fezes, estressados pelo ambiente estranho, pelo calor, pelo barulho e pela movimentação do navio, eles não têm espaço para se mover ou se deitar; os que não resistem e caem são pisoteados. Muitos chegarão mortos, outros doentes e com sérias lesões causadas pelas condições de transporte. Ativistas tentaram sustar o seu embarque no porto de Santos, mas não foram páreo para a bancada ruralista e para o ministro Blairo Maggi.

É irreal achar que o mundo vai parar de comer carne, mas temos o dever moral de minimizar o sofrimento dos animais. Eles devem ser abatidos o mais perto possível de onde estão; submetê-los a viagens longas é uma prática cruel, que vem sendo contestada no mundo inteiro e deveria ser banida no Brasil.” (Cora Ronai)

 

Porque VOCÊ PODE pensar diferente!

fevereiro 8, 2018
Liberte-se de superstições, crendices, mistificações e religiões! Assuma sua própria vida como uma pessoa madura e não invente explicações irreais e absurdas para dar respostas fáceis (e falsas) àquilo que ainda não conhece! 

JAMAIS LEVE ANIMAIS PARA O CARNAVAL!

fevereiro 8, 2018

JAMAIS LEVE ANIMAIS PARA O CARNAVAL!
Lugar de bicho de estimação é EM CASA, longe de aglomeração, de confusão, de barulho, de fogos de artifício, de barulho altíssimo e protegidos contra extravio, agressão ou pisão nas patas! Mantenha os animais longe da confusão e desordem causada pelas pessoas!

VEGETARIANISMO PARA UM MUNDO DE PAZ E HARMONIA!

janeiro 30, 2018

Que direito têm os humanos de matar os outros animais????
Nós não somos melhores que eles (muito pelo contrário!); eles não são inferiores a nós, são as diferentes!

Todo bem e todo MAL que nós mos inevitavelmente VOLTA PARA NÓS, de algum modo! É a inescapável lei universal do Carma (ou Karma)!
E você; está se alimentando de sangue, dor e sofrimento de inocentes??!!??

VEGETARIANISMO PARA UM MUNDO DE PAZ E HARMONIA!
O ser humano jamais deixará de sofrer terríveis dores e maldições, doenças e catástrofes, enquanto não parar de causar dor e matar seres puros e inocentes, que merecem viver com bem-estar, paz e tranquilidade, tanto quanto os humanos! Mas os humanos NUNCA vão parar de sofrer, enquanto não pararem de causar o mal e a dor a inocentes!

 

Boaventura: Mensagem aos democratas brasileiros

janeiro 29, 2018

Boaventura: Mensagem aos democratas brasileiros.

Que fazer? A democracia brasileira está em perigo, e só as forças políticas de esquerda e de centro-esquerda a podem salvar. Mas só podem ter êxito nesta exigente tarefa caso se unam.

Publicado em 26/01/2018

Leonardo Boff

Boaventura: Mensagem aos democratas brasileiros

Que fazer? A democracia brasileira está em perigo, e só as forças políticas de esquerda e de centro-esquerda a podem salvar. Mas só podem ter êxito nesta exigente tarefa caso se unam.

Por Boaventura de Sousa Santos.

Em momentos sombrios como os nossos é imperativo escutar vozes de lucidez de pessoas que conhecem nosso país. Entre tantas, sobressai o sociólogo português Boaventura de Souza Santo.É considerado uma das melhores cabeças que pensam o mundo, a globalização, a partir do Grande Sul. Fez sua tese morando numa favela do Brasil, para conhecer por dentro o mundo da pobreza. Professor em Colimbra e em Wisconsin-Madison nos USA, ganhou fama mundial por ter introduzido várias categorias sociológicas novas para entender o mundo novo que está nascendo. Publicamos aqui seu apelo aos democratas do Brasil pelo amor que tem por nosso país e por seu povo. Lboff

Ver o post original 1.193 mais palavras

‘O olhar mais triste do mundo’

janeiro 29, 2018

Fonte: “Blog o Holocausto Animal”.
“Hoje meu doce Vovô partiu.

Vovô foi um dos resgatados do Instituto Royal.

Parece que foi ontem que Juliana Camargo e eu voltamos com o carro lotado de beagles e passamos a madrugada dando banho (Dani Moreno se juntou a nós) naqueles seres tão puros e tão maltratados. Depois de dar banho em todos, concordamos que o Vovô não poderia ir pra adoção. A gente queria ficar perto dele pra sempre.

O mais velho de todos, cheio de cicatrizes pelo corpo, cortes, feridas e o pior: o olhar mais triste mundo. Um cachorro que passou a vida em uma gaiola sendo usado para testes. Ainda bem que o encontramos.

Ele teve 4 anos de liberdade, amor e dedicação. Quatro anos que foram capazes de mudar o seu olhar, de fazê-lo confiar de novo no ser humano de fazê-lo cachorro.

Um câncer o levou. Um câncer causado por ser cobaia por anos.

Meu coração dói muito, mas ao mesmo tempo sei que deu tempo de você conhecer o melhor da vida. Obrigada por ter me ensinado tanto e me tornado uma pessoa um pouco melhor, Vovô.

Tenho certeza que você já foi recebido com muita festa pela Mocinha, Lola e todos os outros amados que já partiram. Você será pra sempre um marco na proteção animal e uma linda saudade.

Obrigada às meninas da Ampara Animal por serem sua família.”

Por Julia Bobrow, atriz que participou do resgate no Instituto Royal, Facebook, 29 de janeiro de 2018

O Holocausto Animal

Ver o post original 266 mais palavras

O PAPEL DE UM PARTIDO POLÍTICO DE BASES

janeiro 28, 2018

“O PAPEL DE UM PARTIDO POLÍTICO DE BASES” – Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, Mestre em Ciências Sociais.

Sustentabilidade e Democracia

multidão-porto-alegreFoto: manifestação popular em Porto Alegra em defesa de Lula (23/01/2018)

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais

A teoria dos partidos políticos é sempre espinhosa para qualquer cientista social, tamanha é a variedade de concepções teóricas existentes. Adotando uma visão mais simplista, inspirada na escola da ciência política norte-americana, podemos dizer que um partido é um instrumento para atingir o poder formal por meio de propaganda. Não chega a ser uma teoria totalmente errada, pois muitos partidos, especialmente em sistemas dominados por concepções individualistas e pragmáticas são exatamente isto. Aliás, de forma bem realista, Joseph Schumpeter afirmou peremptoriamente que, nas modernas democracias concorrenciais, tamanho é o peso da propaganda, que cada vez é mais difícil diferenciar a ideologia partidária. Em sistemas concorrenciais puros, os partidos se aproximam em termos de práticas e discursos. Talvez por isto, o próprio Schumpeter visse na redução da participação…

Ver o post original 813 mais palavras

Eu não tenho qualquer problema com Lula condenado, ou mesmo preso (se…)

janeiro 26, 2018

Eu não tenho qualquer problema com Lula condenado, ou mesmo preso (se for justificadamente) porque, ao contrário do que muitos (ainda hoje!) acham, eu não sou nem nunca fui petista. Fui, no máximo, simpatizante, na época em que o PT ainda podia ser associado com a Esquerda, ou seja, há muito tempo!

Fui um dos primeiros simpatizantes a me decepcionar com o PT por trair ou frustar as expectativas da Esquerda radical (de raiz!) e dos socialistas autênticos, como eu, desde o primeiro governo de Lula, em que não teve coragem de efetivamente cortar os absurdos e abusivos privilégios dos poderosos, fossem banqueiros, oligarcas ou parasitas do Estado, como altos funcionários pagos com salários exorbitantes.

Em outras palavras, sou – há décadas – crítico do PT. Mas pelo lado certo, pela Esquerda, não pelo lado dos endinheirados exploradores dos trabalhadores, nem dos patéticos “pobres de Direita” (ainda mais pobres intelectualmente do que financeiramente, rs!)

Sou contra o autoritarismo e contra a corrupção, claro. Por isso quero ver na cadeia os corruptos e ladrões de todos os níveis (muito mais os de colarinho branco do que os pés-de-chinelo!). Mas, ao contrário dos patetinhas teleguiados, eu fiquei muito mais feliz vendo o Maluf ir preso do que o Lula, e continuo esperando a vez de Sarney, Moreira Franco, Temer e outros caciques daquele partido que é a verdadeira Máfia que domina a política brasileira, não o PT, mas o PMDB (voltar a chamar-se com o nome digno que tinham na época em que eram a oposição à pútrida ditadura militar é um golpe de marketing tão fajuto e escandaloso que não engana absolutamente ninguém!!! MDB mesmo era o admirável partido de Ulysses Guimarães, Tancredo Neves, Pedro Simon e outros valorosos políticos, não esta atual gangue de bandidos e ladrões!).

O que verdadeiramente me entristece e me dá nojo é a conjugação de alienação política, ignorância pura  e baixo nível cultural e moral de gente que enche a boca para dizer que “odeia o Lula”, sem perceber o quão vergonhosa é sua inconsciência política, que os impede de perceber o lamentável preconceito de classe a que estão presos e de que também são vítimas, e como os próprios são manipulados pela “elite” (de merda!) que os explora e da qual os idiotas acreditam fazer parte, hahahaha!!!

Pobre Brasil, tristes brasileiros… e felizes sanguessugas exploradores da pátria.

Grande filme: “O jovem Karl Marx”

janeiro 26, 2018

Fui ver o filme “O jovem Karl Marx”, sem nenhuma expectativa, seja positiva ou negativa – como, de resto, devemos entrar em contato com qualquer obra de arte: sem expectativas ou pré-conceitos.

A crítica especializada em cinema de um grande jornal aqui do RJ atribuiu uma avaliação regular ao filme, apontando como um aspecto positivo a reflexão que a obra enseja, e como aspecto negativo uma abordagem “Hollywoodiana” da história. Pessoalmente, concordei com o lado positivo, mas não com o negativo, pois não vi nada de “Hollywoodiano” na obra. Ao contrário, fiquei (positivamente) abismado que alguém tenha, nos dias atuais, conseguido verba para fazer um filme sobre o grande pensador alemão e suas ideias revolucionárias, ainda tão atuais e relevantes. Mas, de qualquer modo, não sou crítico de cinema, portanto, vou me abster de opinar sobre aquilo que não entendo.

Gostaria, entretanto, de recomendar a tod@s que não percam a oportunidade de assistir o filme e ter contato com o pensamento de Marx, bem como de outras importantes correntes políticas e filosóficas de sua época – como o Anarquismo – também retratadas de passagem na película.

Seja para quem já conhece (muito ou pouco) a obra do grande filósofo, ou – especialmente! – para quem não o conhece, o filme tem muito valor, seja artístico, seja cultural e pedagógico.

Se mais pessoas começassem a realmente conhecer de verdade um pouco mais sobre Karl Marx, suas ideias e outras linhas de pensamento que o influenciaram ou contestaram em sua época, com um espírito aberto e uma genuína vontade de aprender e entender, teríamos muito menos lixo verbal (e escrito) em giro no cotidiano, principalmente na internet (com o Facebook liderando o ranking de besteiras sem fundamento emitidas por analfabetos políticos e incultos semi-instruídos).