O centro não é o ser humano mas a vida em sua diversidade

maio 19, 2018

Mais um ótimo artigo para leitura e reflexão do Leonardo Boff: “Na compreensão dos grandes cosmólogos que estudam o processo da cosmogênese e da biogênese, a culminância desse processo não se realiza no ser humano. A grande emergência é a vida em sua imensa diversidade e àquilo que lhe pertence essencialmente que é o cuidado. Sem o cuidado necessário nenhuma forma de vida subsistirá (cf. Boff, L., O cuidado necessário, Vozes, Petrópolis 2012).

É imperioso enfatizar: a culminância do processo cosmogênico não se dá no antropocentrismo, como se o ser humano fosse o centro de tudo e os demais seres só ganhariam significado quando ordenados a ele e ao seu uso e desfrute. O maior evento da evolução é a irrupção da vida em todas as suas formas, também na forma humana.

O conhecido cosmólogo da Califórnia Brian Swimme afirma em seu livro The Universe Story: “Somos incapazes de nos libertar da convicção de que, como humanos, nós somos a glória e a coroa da comunidade terrestre e perceber que somos, isso sim, o componente mais destrutivo e perigoso dessa comunidade”. Esta constatação aponta para a atual crise ecológica generalizada afetando o inteiro planeta, a Terra.” (Continua; clique no linque para ler mais)

Leonardo Boff

        Na compreensão dos grandes cosmólogos que estudam o processo da cosmogênese e da biogênese, a culminância desse processo não se realiza no ser humano. A grande emergência é a vida em sua imensa diversidade e àquilo que lhe pertence essencialmente que é o cuidado. Sem o cuidado necessário nenhuma forma de vida subsistirá (cf. Boff, L., O cuidado necessário, Vozes, Petrópolis 2012).

É imperioso enfatizar: a culminância do processo cosmogênico não se dá no antropocentrismo, como se o ser humano fosse o centro de tudo e os demais seres só ganhariam singificado quando ordenados a ele e ao seu uso e desfrute. O maior evento da evolução é a irrupção da vida em todas as suas formas, também na forma humana.

O conhecido cosmólogo da Califórnia Brian Swimme afirma em seu livro The Universe Story:Somos incapazes de nos libertar da convicção de que, como humanos, nós…

Ver o post original 583 mais palavras

Anúncios

Eu só acordaria às seis da manhã e ligaria a TV para ver a plebe derrubando a monarquia!

maio 19, 2018

Fala sério! É verdade mesmo que vai ter gente acordando amanhã às seis da matina pra ver o casamento de gente da monarquia britânica?!?!? Afinal, o que são vocês? Súditos???

Sinto vergonha alheia de ver tantos brasileiros colonizados culturalmente, pagando tributo a uma monarquia (estrangeira ou não). Ainda que não seja um tributo financeiro, mas o é em termos de tempo de vida e atenção, que poderia ser dedicada a coisas muito mais úteis.

Eu só acordaria às seis da manhã e ligaria a tevê para ver a plebe derrubando a monarquia! Quando isso acontecer, estarei ligado, se não estiver participando. Enquanto isso, sigo lamentando que um montão de plebeus brasileiros, pobres materialmente e culturalmente sejam tão bobões. Sem mais.

Notícia publicada hoje na coluna do Ancelmo Gois (Jornal O Globo) – 13/05/2018

maio 14, 2018

Maracanã – Juíza afirma que segurança noturno do Maracanã está torturando e matando gatos

por Ancelmo Gois (Jornal O Globo) – 13/05/2018

Odebrecht de novo:

A juíza Rosana Navega, do Rio, encaminhou ofício ao Ministério Público para viabilizar ação civil pública que responsabiliza a Odebrecht por maus-tratos aos gatos que vivem no Maracanã.

Segundo a magistrada, um segurança noturno vem torturando e matando os bichos, e a administração do estádio tem responsabilidade civil, criminal e administrativa pelo crime ambiental.

Meu comentário: Temos que identificar este maldito covarde criminoso desgraçado. Este verme imundo tem que ser demitido do emprego, preso e condenado, além de publicamente escrachado! Maldito bosta humana, covarde filho de uma rameira imunda!!!! Vamos localizar, denunciar e providenciar a justa punição ao covarde de merda!!!!

A EDUCAÇÃO JAMAIS DEVERIA SER VISTA COMO UM OBJETO DE NEGÓCIO$

maio 14, 2018

A EDUCAÇÃO JAMAIS DEVERIA SER VISTA COMO UM OBJETO DE NEGÓCIO$, E SIM COMO UM DIREITO FUNDAMENTAL DOS CIDADÃOS E UM OBJETIVO ESTRATÉGICO NACIONAL. MAS ISTO NÃO INTERE$$A AOS NEOLIBERAIS ENTREGUISTAS QUE AGORA GOVERNAM O BRASIL!

Cittadinanza e progetto di rifondazione del Brasile

maio 9, 2018

La cittadinanza ha varie dimensioni: è politico-partecipativa, è economico-produttiva, popolare-inclusiva, è con-cittadinanza, è ecologica e, infine, terrena.

Nel contesto attuale di un regime di eccezione, che non rispetta, anzi ferisce la cittadinanza di un intero popolo, occorre approfondire questo tema.

La cittadinanza è un processo non del tutto rifinito, mai concluso, sempre aperto a nuove acquisizioni di coscienza dei diritti, di partecipazione politica e di solidarietà, come fondamento di una società umanizzata. Soltanto cittadini attivi possono fondare una società democratica, come sistema aperto (Democrazia senza fine, al dire di Boaventura de Souza Santos), che si sente imperfetta, ma al tempo stesso perfettibile. Per questo, il dialogo, la partecipazione, la vivenza della correzione etica, la ricerca di trasparenza costituiscono i due maggiori punti-forza.

La cittadinanza si realizza all’interno di una società concreta, che elabora per sé stessa progetti a volte in conflitto tra di loro, di costruzione della sua sovranità e dei punti d’inserzione nel più vasto panorama della planetariizzazione. Tutti loro vogliono dare una risposta alla domanda: quale Brasile, dopo 500 anni, finalmente vogliamo? Succede che il golpe attuale ha interferito tanto nella Costituzione, ponendo dei paletti alla spesa sociale che finisce per rendere impossibile la creazione di uno Stato Sociale democratico nazionale. E’ un progetto contro la nazione libera, contro il popolo e il suo futuro.

Leonardo Boff

La cittadinanza ha varie dimensioni: è politico-partecipativa, è economico-produttiva, popolare-inclusiva, è con-cittadinanza, è ecologica e, infine, terrena.

Nel contesto attuale di un regime di eccezione, che non rispetta, anzi ferisce la cittadinanza di un intero popolo, occorre approfondire questo tema.

La cittadinanza è un processo non del tutto rifinito, mai concluso, sempre aperto a nuove acquisizioni di coscienza dei diritti, di partecipazione politica e di solidarietà, come fondamento di una società umanizzata. Soltanto cittadini attivi possono fondare una società democratica, come sistema aperto (Democrazia senza fine, al dire di Boaventura de Souza Santos), che si sente imperfetta, ma al tempo stesso perfettibile. Per questo, il dialogo, la partecipazione, la vivenza della correzione etica, la ricerca di trasparenza costituiscono i due maggiori punti-forza.

La cittadinanza si realizza all’interno di una società concreta, che elabora per sé stessa progetti a volte in conflitto tra di loro, di costruzione della sua sovranità e…

Ver o post original 640 mais palavras

Ciudadanía y proyecto de refundación de Brasil

maio 9, 2018

La ciudadanía tiene varias dimensiones: es político-participativa, es económico-productiva, es popular-incluyente, es con-ciudadana, es ecológica, y por último es terrenal.

En el contexto actual de un régimen de excepción que no respeta sino que hiere la ciudadanía de todo un pueblo, necesitamos profundizar en este tema.

La ciudadanía es un proceso inacabado y abierto siempre a nuevas adquisiciones de conciencia de los derechos, de participación política y de solidaridad, como fundamento de una sociedad humanizada. Sólo los ciudadanos activos pueden fundar una sociedad democrática, como sistema abierto (democracia sin fin, en el decir de Boaventura de Souza Santos), que se siente imperfecta pero al mismo tiempo siempre perfectible. Por eso, el diálogo, la participación, la vivencia de la corrección ética y la búsqueda de transparencia constituyen sus virtudes mayores.

La ciudadanía se realiza dentro de una sociedad concreta que elabora para sí proyectos, muchas veces conflictivos entre sí, de construcción de su soberanía y de los caminos de inserción en el proceso mayor de planetización. Todos ellos quiere dar respuesta a la pregunta: ¿qué Brasil, después de más 500 años, queremos finalmente? Ocurre que el golpe actual ha interfirido tanto en la Constitución, poniendo límites a los gastos sociales, que acaba por hacer imposible la creación de un Estado Social Democrático nacional. Es un proyecto contra la nación libre, contra el pueblo y su futuro.

Leonardo Boff

La ciudadanía tiene varias dimensiones: es político-participativa, es económico-productiva, es popular-incluyente, es con-ciudadana, es ecológica, y por último es terrenal.

En el contexto actual de un régimen de excepción que no respeta sino que hiere la ciudadanía de todo un pueblo, necesitamos profundizar en este tema.

La ciudadanía es un proceso inacabado y abierto siempre a nuevas adquisiciones de conciencia de los derechos, de participación política y de solidaridad, como fundamento de una sociedad humanizada. Sólo los ciudadanos activos pueden fundar una sociedad democrática, como sistema abierto (democracia sin fin, en el decir de Boaventura de Souza Santos), que se siente imperfecta pero al mismo tiempo siempre perfectible. Por eso, el diálogo, la participación, la vivencia de la corrección ética y la búsqueda de transparencia constituyen sus virtudes mayores.

La ciudadanía se realiza dentro de una sociedad concreta que elabora para sí proyectos, muchas veces conflictivos entre sí, de construcción…

Ver o post original 634 mais palavras

BASTA DE CRUELDADE E COVARDIA!

maio 9, 2018
BASTA DE CRUELDADE !!!! BASTA DE COVARDIA !!!!
JÁ ESTAMOS EM PLENO SÉCULO XXI, É MAIS DO QUE HORA DO SER HUMANO EVOLUIR MENTALMENTE, EMOCIONALMENTE E ESPIRITUALMENTE E DEFINITIVAMENTE PARAR DE MALTRATAR CRIATURAS PURAS E INOCENTES QUE MERECEM VIVER EM PAZ, TANTO OU MAIS DO QUE OS HUMANOS!
 
BASTA!!!!! PELO FIM IMEDIATO DE TOURADAS, RODEIO, VAQUEJADAS E OUTRAS ATIVIDADES PRIMITIVAS, ESTÚPIDAS, CRUÉIS E COVARDES!!!! (Paulo Sisinno)
 
“10 RAZÕES para NÃO ir às TOURADAS”:
 
Porque nunca é demais fornecer argumentos para todos usarmos quando queremos chamar a atenção das pessoas.
 
1- Porque é errado usar animais para entretenimento humano, especialmente quando o “espetáculo” é conseguido à custo do seu sofrimento desnecessário. Os touros são animais pacíficos e dóceis e não merecem o tratamento cruel que o Homem lhes dá.
 
2- Porque a tourada é uma tradição bárbara e cruel e que tem como o único objetivo provocar dor e sofrimento num animal como forma de provar a virilidade dos intervenientes humanos e com isso faturar milhares de euros.
 
3- Porque a tourada é um “jogo” injusto, em que os únicos intervenientes sujeitos ao perigo são os cavalos e os touros e nunca os humanos. A tourada não é desporto nem arte. É um confronto desleal e covarde entre o sadismo humano e um animal.
 
4- Porque o sofrimento não se resume à arena. Os jovens touros e vacas são repetidamente torturados em treinos. Durante toda a sua vida, estes animais não conhecem mais do que a dor e agonia excruciantes.
 
5- Porque no mundo da tauromaquia nenhum animal é tratado com respeito e dignidade. Os próprios cavalos sofrem as investidas desesperadas dos touros. Para estas pessoas os animais não têm direitos nem sentimentos: significam lucro.
 
6- Porque horas antes da entrada na arena os touros são enclausurados num lugar escuro, espicaçados, espancados, os seus chifres são cortados a sangue-frio, são apunhalados no dorso e drogados. Os touros nunca terão qualquer hipótese de defesa.
 
7- Porque os touros sofrem lesões graves provocados pelos ferros espetados no dorso. Quando são reencaminhados para os curros, os ferros são-lhes arrancados da carne com o auxílio de facas, sem qualquer tipo de anestesia, sem qualquer compaixão.
 
8- Porque depois de ser “lidado”, o animal permanece na maioria das vezes, desde a noite de sábado até à manhã de segunda-feira em sofrimento angustiante à espera que o matadouro mais próximo reabra para que possa finalmente ser abatido.
 
9- Porque a tourada deseduca e insensibiliza o público. A tourada não é cultura, é pura crueldade e maldade e apela aos maus-tratos dos animais. Levar os seus filhos à tourada irá contribuir para a continuidade desta atividade degradante e arcaica.
 
10- Porque você não vai querer alimentar a crueldade e ganância das pessoas que vivem da tauromaquia e que ao torturar criaturas inocentes, envergonham Portugal. Dê um bom exemplo aos seus filhos.
 

Um símbolo

maio 7, 2018
Usar um casaco de pele hoje em dia não é mais um símbolo de status; é um símbolo de MEDIOCRIDADE, de imbecilidade, de crueldade e insensibilidade, que indica uma pessoa totalmente ignorante e alheia ao que se passa no mundo à sua volta.

Vaquejada é cruel e inconstitucional, afirma Raquel Dodge

maio 7, 2018

VIVA RAQUEL DODGE!!!

Na última quinta-feira (3), a PGR enviou um parecer ao Supremo Tribunal Federal criticando a vaquejada e a Emenda Constitucional 96, que tentou regulamentar a prática.

Segundo Raquel Dodge, “não há dúvida de que práticas cruéis como vaquejadas, brigas de galo, a farra do boi e atividades análogas colidem com a Constituição da República”. A PGR diz que “a preservação do ambiente deve prevalecer sobre práticas e esportes que subjuguem animais em situações indignas, violentas e cruéis”.

Dodge também defende o banimento da atividade: “Não se devem admitir atividades lesivas ao ambiente e que tratem animais de modo cruel. Em outras palavras, não é possível, a pretexto de realizar eventos culturais e esportivos, submeter espécies animais a práticas violentas e cruéis.”

O Holocausto Animal

Ver o post original 179 mais palavras

Quase 25% do curso de veterinária é voltado à exploração animal

maio 7, 2018

Cpt. da página O Holocausto Animal​: “Quase 1/4 da grade curricular em medicina veterinária possui relação direta com a exploração animal — é o que aponta uma estimativa calculada por Amanda Luiza, autora do Instagram Veterinária Vegana.

Com base no seu curso de graduação, Amanda selecionou as disciplinas ligadas à criação de animais e calculou a porcentagem em relação à grade curricular completa. O resultado se aproxima de 25%, envolvendo matérias como “avinocultura”, “suinocultura”, “zootecnia geral”, “genética animal”, “caprino e ovinocultura”, “sociologia e extensão rural”, entre outras.

Mas de acordo com a formanda, a estimativa é conservadora, porque as aulas naturalizam a exploração e o abate dos animais. “O curso é imerso no chamado ‘currículo oculto’, no qual a exploração animal é naturalizada”, alega.”

O Holocausto Animal

Ver o post original 131 mais palavras