Archive for dezembro \31\UTC 2014

Retrospectiva 2014

dezembro 31, 2014

Retrospectiva 2014:

De bom e de ruim, sempre tem um pouco de cada, né?… Pra começar, falemos de coisas boas:

A Bienal de Caricaturas no CCJF-RJ; a Expo de Yayoi Kusama no CCBB; a Mostra Internacional de Rock Progressivo no CCBB – quando eu iria imaginar que poderia assistir Premiata Forneria Marconi no RJ?!?!?! E ainda: o Mestre-Mor das baquetas; Carl Palmer??!!!

O filme “A Grande Beleza” de Paolo Sorrentino, que pode ser considerado uma beleza homenagem ao Mestre Fellini, sendo um decalque de seu estilo inigualável; o show “Bate Bola” com Kleiton e Kledir no CCBB-RJ, juntando bom papo (sobre futebol) e boa música; os livros de Elio Gaspari, Jorge Ferreira e Carlos Chagas sobre o período negro da ditadura militar; a montagem da peça Sacco e Vanzetti, da Companhia Ensaio Aberto no Armazém da Utopia; o filme “Junho” sobre as manifestações de rua (o Brasil acordou… e dormiu de novo…).

A sensacional montagem de “O livro de mórmon” (de rachar de rir e fazer pensar mais tarde); o imprescindível “Film Ambient”, festival de filmes ambientais-ecológicos; o sempre ótimo Art Rua, no Galpão da Cidadania; a Expo do Dali no CCBB e a Expo de Ron Muek no MAM.

Os diversos eventos de comemoração dos 150 anos da AIT, com a presença de expoentes do ativismo e da intelectualidade (como Michael Lowy); o Fest-Rio, sempre com grandes (e exclusivos) filmes; o sempre ótimo ARTCORE no MAM; o MOF (Meeting Of Favelas) 2014 em Caxias;a FAU (Feira de Arte Urbana) na Lapa-RJ; os filmes “Democracia em Preto e Branco” (BR) e “Boyhood” (EUA).

No cenário internacional, a bela atuação política de Bergoglio, o papa Francisco, como na negociação diplomática entre EUA e Cuba; o prêmio Nobel da Paz dado a Malala, símbolo vivo da luta entre a luz da educação e a sombra do obscurantismo religioso.

Isso só pra não deixar de lembrar algumas coisas boas deste ano que passou. É claro que teve mais coisas, que eu não pude conferir, afinal tenho que trabalhar e estudar também… rs…

Coisas ruins… hum… não é muito bom de se recordar, mas às vezes é preciso, para que queiramos e possamos mudar pra melhor: o vexame do futebol brasileiro na Copa do Mundo (e no Campeonato Brasileiro também). A vitória do time alemão, no entanto, foi justíssima. Assim como eu jamais esquecerei o vexame dos 7 x 1 que vi; também nunca esquecerei o exemplar futebol de altíssima categoria que vi a seleção alemã jogando este ano (uma aula de bom futebol!).

No cenário internacional, a praga do fundamentalismo religioso se alastrando e tornando-se ainda mais primitivo e cruel com os monstros do Isis, e mais a praga do fascismo voltando das catacumbas em diversos países, alimentado pela velha xenofobia e egoísmo das grandes potências.

Nos EUA, o racismo ainda vivo e fazendo mais vítimas (negras) nas ruas e nos tribunais.

No cenário nacional, a perda de sujeitos brilhantes e insubstituíveis (Ariano Suassuna, Manoel de Barros, João Ubaldo, Ivan Junqueira, Plínio de Arruda Sampaio), a despedida de Pedro Simon, um dos únicos e raros políticos decentes na história deste país e, mais recentemente, a montagem do ministério do segundo governo Dilma com figuras tétricas como Kátia Abreu na Agricultura.

Bem, pra variar, 2015 trará um pouco de cada: coisas ruins e boas. O mais importante, portanto, é não desistirmos; com saúde, consciência limpa e coração tranquilo – que é o que eu desejo pra você, que está lendo – seguiremos juntos na luta, como sempre! FELIZ 2015!

De Frei Betto: FAÇA NOVO O TEU ANO

dezembro 29, 2014

De Frei Betto: FAÇA NOVO O TEU ANO

Leonardo Boff

Nada melhor para esse início de ano de 2015 que promete ser um caminho de espinhos e de abrolhos do que estas palavras sábias e esperançadoras de frei Betto, um dos que melhor escreve sobre espiritualide e sobre engajamento para transformação social a partir dos mais esquecidos e sofredores. Toda sua vida vem marcada por esta opção, em razão da qual está nas origens do programa Fome Zero do governo de Lula-Dilma. Não fez outra coisa que repetir o gesto de Jesus, o de multiplicar os pães e os peixes. Esta iniciativa ficará imorredoura na história de nosso país: Lboff

*******************

 Neste ano-novo, se faça novo, reduza a ansiedade, regue de ternura os sentimentos mais profundos, imprima a seus passos o ritmo das tartarugas e a leveza das garças.


Não se mire nos outros; a inveja mina a autoestima, fomenta o ressentimento e abre, no centro do coração, o buraco…

Ver o post original 469 mais palavras

Fim de uma era, uma nova civilização ou o fim do mundo?

dezembro 27, 2014

Compartilhando mais um texto para reflexão do Mestre Leonardo Boff: Fim de uma era, uma nova civilização ou o fim do mundo?

Leonardo Boff

Há vozes de personalidades de grande respeito que advertem que estamos já dentro de uma Terceira Guerra Mundial. A mais autorizada é a do Papa Francisco. No dia 13 de setembro deste ano, ao visitar um cemitério de soldados italianos mortos em Radipuglia perto da Eslovênia disse:”a Terceira Guerra Mundial pode ter começado, lutada aos poucos com crimes, massacres e destruições”. O ex-chanceler alemão Helmut Schmidt em 19/12/2014 com 93 anos adverte acerca de uma possível Terceira Guerra Mundial, por causa da Ucrânia. Culpa a arrogância e os militares burocratas da União Européia, submetidos às políticas belicosas dos USA.

George W. Bush chamou a guerra ao terror, depois dos atentados contra as Torres Gêmea, de “World War III”. Eliot Cohen, conhecido diretor de Estudos Estragégicos da Johns Hopkins University, confirma Bush bem como Michael Leeden, historiador, filósofo neoconservador e antigo consultor do Conselho de Segurança dos USA que prefere falar…

Ver o post original 642 mais palavras

Onde está o nó da questão ecológica(II).

dezembro 13, 2014

Leonardo Boff: Onde está o nó da questão ecológica(II). Segunda parte.

Leonardo Boff

No artigo anterior com o mesmo título abordamos o lado objetivo da questão ecológica, tentando superar o mero ambientalismo a partir de uma nova visão do planeta, da natureza e do ser humano, como a porção pensante da Terra.

Mas esta consideração é insuficiente se não for completada por uma visão subjetiva, aquela que afeta as estruturas mentais e os hábitos dos seres humanos. Não basta ver e pensar diferente. Temos também que agir diferente. Não  podemos mudar simplesmente o mundo. Mas sempre podemos começar a mudar este pedaço do mundo que somos cada um de nós. E se a maioria incorporar esse processo daremos o salto quântico necessário para um novo paradigma de habitar a única Casa Comum que temos.

Inspira-nos a Carta da Terra, de cuja redação tive a honra de participar sob a coordenação M. Gorbachev entre outros. Insatisfeitos com os resultados finais da Rio+20 um…

Ver o post original 727 mais palavras

Onde está o nó da questão ecológica (I)?

dezembro 8, 2014

Onde está o nó da questão ecológica (I)? – Leonardo Boff

Leonardo Boff

Estamos acostumados ao discurso ambientalista genralizado pela mídia e pela consciência coletiva. Mas importa reconhecer que restringir a ecologia ao ambientalismo é incidir em grave reducionismo. Não basta uma produção de baixo carbono mas mantendo a mesma atitude de exploração irresponsável dos bens e serviços da natureza. Seria como limar os dentes de um lobo com a ilusão de tirar a ferocidade dele. Sua ferocidade reside em sua natureza e não nos dentes. Algo semelhante ocorre com o nosso sistema industrialista, produtivista e consumista. É de sua natureza tratar a Terra como um balcão de mercadorias a serem colocadas no mercado. Temos que superar esta visão caso quisermos alcançar um outro paradigma de relação para com a Terra e assim sustar um processo que nos pode levar a um caminho sem retorno e mesmo a um abismo.

Estamos cansados de meio-ambiente. Queremos o ambiente inteiro, vale dizer, uma visão sistêmica…

Ver o post original 779 mais palavras