Archive for agosto \31\UTC 2015

Brazil in the Fifties: Portrait of a Beautiful, Troubled Country

agosto 31, 2015

Color photos from Brazil seven decades ago, when the beautiful, troubled nation was enduring “growing pains” not dissimilar to what it’s going through today.

TIME

The title of a 1957 feature on Brazil published in LIFE magazine reads as if it might have been written last week: “Growing Pains of a Big Country: Ambitious Brazil Has Great Riches, Fine Prospects — and Big Problems.” The operative word here, of course, is “big,” as Brazil is huge in many ways, not least in geographic size (the 5th largest country on earth) and in population (200 million people).

But enormous troubles — many of which stem, at least in part, from the country’s endemic corruption — have held Brazil back from realizing its phenomenal economic potential. As the country hosts the 2014 FIFA World Cup and, in two years, the 2016 Summer Olympics, the world’s attention is focused on Brazil more intensely now than it has been in years. This gallery features color photos made seven decades ago, when beautiful, troubled Brazil was enduring “growing pains” not…

Ver o post original 7 mais palavras

Anúncios

Working Out Doesn’t Keep Your Brain Young: Study

agosto 31, 2015

Being physically active has a lot of health benefits, but the latest research questions whether it can help the brain

Exercise can help the heart, lower the risk of diabetes, keep blood pressure in check and help you maintain a healthy weight. But researchers say you shouldn’t expect it to keep your brain alert.
THE BEST THING YOU CAN DO: STUDY!

TIME

Exercise can help the heart, lower the risk of diabetes, keep blood pressure in check and help you maintain a healthy weight. But researchers say you shouldn’t expect it to keep your brain alert.

In a study published in JAMA, Dr. Kaycee Sink, director of the memory assessment clinic at Wake Forest Baptist Medical Center and her colleagues come to the somewhat surprising conclusion that exercise doesn’t help elderly to maintain their brain function. Previous studies that found people who were more active documented less decline in mental abilities over time. And the theory behind the relationship made sense — physical activity can improve circulation and keep brain neurons nourished and fed with the nutrients they need to keep working properly.

MORE:How Exercise Helps Curb Alzheimer’s Symptoms

But when Sink and her team put the idea to the test with a group of 1,635 elderly, sedentary people aged…

Ver o post original 413 mais palavras

Behind Marvel’s Decision to Create These Controversial Female Superheroes

agosto 31, 2015

In the last two years, Marvel Comics, led by editor in chief Axel Alonso, has been earning new fans—and boosting its bottom line—by diversifying its comic books. Marvel went from publishing zero female-led comics in 2012 to 16 this year. The changes have been controversial among some comics fans, a notoriously obsessive group, especially the decision to hand Thor’s hammer to a woman and the creation of the Muslim teenage superhero named Ms. Marvel.

TIME

In the last two years, Marvel Comics, led by editor in chief Axel Alonso, has been earning new fans—and boosting its bottom line—by diversifying its comic books. Marvel went from publishing zero female-led comics in 2012 to 16 this year. The changes have been controversial among some comics fans, a notoriously obsessive group, especially the decision to hand Thor’s hammer to a woman and the creation of the Muslim teenage superhero named Ms. Marvel.

Alonso’s imperative to create comic books starring women that could sell collided with the restlessness of writer Jason Aaron, who wanted to find a surprising new direction for Thor, one of Marvel’s staple superheroes. In comic-book lore, Thor’s magical hammer, called Mjolnir, can be lifted only by whoever is deemed worthy to carry it. Aaron decided that the male Thor no longer qualified. “I liked the idea of Thor as a god who was always…

Ver o post original 436 mais palavras

Estão se acabando recursos na dispensa da Casa Comum

agosto 29, 2015

Mais um artigo de leitura imprescindível de autoria do Mestre Leonardo Boff:
Estão se acabando recursos na dispensa da Casa Comum
29/08/2015
A Terra é um planeta pequeno, velho, com a idade de 4,44 bihões de anos, com 6.400 km de raio e 40.000 km de circunferência. Há 3,8 bilhões de anos surgiu nele todo tipo de vida e há cerca 7 milhões, um ser consciente e inteligente, altamente ativo e ameaçador: o ser humano. O preocupante é o fato de que a Terra já não possui reservas suficientes em sua dispensa para fornecer alimentos e água para seus habitantes. Sua biocapacidade está se enfraquecendo dia a dia.

O dia 13 de agosto foi o Dia da Sobrecarga da Terra (Earth Overshooting Day). É o que nos informou a Rede da Pegada Global (Global Footprint Network) que, junto com outras instituições como a WWF e o Living Planet acompanham sistematicamente o estado da Terra. A pegada ecológica humana (quanto de bens e serviços precisamos para viver) foi ultrapassada. As reservas da Terra se estão se esgotando e precisamos de 1,6 planeta para atender nossas necessidades sem ainda aquelas da grande comunidade de vida (fauna, flora, micro-organismos). Em palavras de nosso cotidiano: nosso cartão de crédito entrou no vermelho.
(Leia mais a seguir)

Leonardo Boff

        A Terra é um planeta pequeno, velho, com a idade de 4,44 bihões de anos, com 6.400 km de raio e 40.000 km de circunferência. Há 3,8 bilhões de anos surgiu nele todo tipo de vida e há cerca 7 milhões, um ser consciente e inteligente, altamente ativo e ameaçador: o ser humano. O preocupante é o fato de que a Terra já não possui reservas suficientes em sua dispensa para fornecer alimentos e água para seus habitantes. Sua biocapacidade está se enfraquecendo dia a dia.

O dia 13 de agosto foi o Dia da Sobrecarga da Terra (Earth Overshooting Day). É o que nos informou a Rede da Pegada Global (Global Footprint Network) que, junto com outras instituições como a WWF e o Living Planet acompanham sistematicamente o estado da Terra. A pegada ecológica humana (quanto de bens e serviços precisamos para viver) foi ultrapassada…

Ver o post original 705 mais palavras

O ÚNICO ANIMAL QUE CAÇA POR GOSTAR DE MATAR É O HOMEM

agosto 28, 2015

Eis aqui um texto fundamental, especialmente para aqueles “pobres de raciocínio” que não conseguem entender um fato básico da vida: todos os animais têm seus instintos naturais (inclusive os humanos) e caçar é um instinto vital dos predadores, dentre eles os caninos e os felinos. E mais uma verdade essencial: os animais caçam por instinto de sobrevivência, mesmo os animais domésticos, que não precisam caçar para sobreviver, mas que naturalmente ainda têm seus instintos básicos. Pra terminar, nunca é demais lembrar: O ÚNICO ANIMAL QUE CAÇA POR GOSTAR DE MATAR É O HOMEM, A ÚNICA CRIATURA SÁDICA E CRUEL NA NATUREZA!

O gato é um animal incrível. Claro, eles têm alguns hábitos irritantes como a maioria dos animais de estimação, como arranhar o seu sofá de couro favorito ou sedutoramente se esfregar em cima de você enquanto você está tentando trabalhar.

Mas talvez o hábito mais irritante dos bichanos seja a sua predileção por trazer uma carcaça sangrenta suja à sua porta, apresentando-a como se fosse um presente de Natal antecipado envolvido em um belo papel.

Incrivelmente, um estudo publicado no ano passado na revista Nature Communications
sugeriu que os gatos nos EUA matam entre 1,3 e 4 bilhões de aves e entre 6,3 e 22,3 bilhões de pequenos mamíferos por ano. Esse é um número bastante impressionante.

Mas por que eles fazem isso?
Será que eles são apenas assassinos frios que, por trás de toda a fofura, se divertem com o sangue em suas garras afiadas? Ou há uma razão mais profunda, evolucionária? Você provavelmente já sabe que a segunda hipótese é a verdadeira.

Gatos evoluíram para se tornar predadores altamente eficientes, com seus dentes afiados e garras retráteis, patas amortecidas para rastejar silenciosamente, visão noturna, velocidade e agilidade. Apesar da domesticação de gatos a partir de ancestrais selvagens ter começado cerca de 10.000 anos atrás, os gatos mantiveram seus instintos de caça selvagem, bem como a sua capacidade de digerir carne crua. Não importa o quanto você os mime e os vista com roupinhas bonitinhas e óculos de sol, você não pode apagar seus instintos predatórios.

Predadoras natas
Eles aprendem através da experiência e tradicionalmente são criados por suas mães. Isso envolve ensinar os filhotes a cuidar de si mesmos, incluindo a forma de capturar presas. A mãe educa sua cria gradualmente, começando por trazer para casa presas mortas para os gatinhos comerem. Em seguida, ela traz presas vivas (mas agonizando) para a prole matar e, eventualmente, quando eles estiverem prontos, ela vai levá-los junto para mostrar-lhes como caçar. Há, inclusive, exemplos documentados de gatas fazendo isso com gatos jovens que não são seus filhos.

Uma vez que as gatas são mais suscetíveis a trazer presas para casa, a explicação mais provável para este comportamento é que elas estão tentando ensinar para você as habilidades de caça, já que você aparentemente é bem ruim nisso. Também é possível que os animais estejam meramente lhe dando um presente, mas parece mais provável que isso se relacione com os instintos de caça que foram reprimidos pela domesticação.

Então da próxima vez que sua gatinha fofa decidir deixar um cadáver nojento sangrando em seu capacho, tente se lembrar que ela te ama e está apenas tentando externar sua predadora interior.

FONTE: hypescience

Como cuidar de nossa Casa Comum

agosto 28, 2015

Como cuidar de nossa Casa Comum – Leonardo Boff

Leonardo Boff

Hoje para cuidar da Terra como nos sugeriu detalhamete o Papa Francisco em sua encíclica “Cuidado da Casa Comum” exige-se “uma conversão ecológica global”, “mudanças profundas nos estilos de vida, nos modelos de produção e de consumo, nas estruturas consolidadas de poder”(n.5). Esse propósito jamais será alcançado senão amarmos efetivamente a Terra como nossa Mãe e soubermos renunciar e até sofrer para garantir sua vitalidade para nós e para toda a comunidade de vida (n.223). A Mãe Terra é a base que tudo sustenta e alimenta. Nós não podemos viver sem ela. A sistemática agressão que sofreu nos últimos séculos tiraram-lhe o equilíbrio necessário. Eventualmente, poderá continuar pelos séculos afora, mas sem nós.

No dia 13 de agosto deste ano de 2015 ocorreu o Dia da Sobrecarga da Terra (The Earth Overshoot Day), dia em que se constatou a ultrapassagem da biocapacidade da Terra em atender as demandas humanas. Precisa-se…

Ver o post original 751 mais palavras

Laudato Si :Una Enciclica anti-sistemica:la opinión de un marxista

agosto 28, 2015

MICHAEL LÖWY é um dos mais criativos e fecundos intelectuais brasileiros. De ascendência hebraica, nasceu no Brasil em 1938 mas passa grande parte do tempo em Paris como Diretor de Pesquisa do Centre National de la Recherche Scientifique. Faz frequentes viagens ao Brasil para cursos e assessorias acompanhando de perto as política nacional, sempre numa perspectiva libertadora. É um dos melhores conhecedores da Teologia da Libertação com obras que cabe serem lidas e estudadas: Marxismo e Teologia da Libertação, Cortez, São Paulo 1991; A guerra dos deuses: religião e políticas na América Latina, Vozes 2000; Redenção e utopia:o judaísmo libertador na Europa Central. Companhia das Letras, Rio de Janeiro 1989 entre outros. É um dos fundadores do ecosocialismo em nível internacional e lançou em 2014 o livro O que é o ecossocialismo? Editora Cortez, São Paulo. Representa um marxismo aberto e humanista sempre em diálogo com as correntes libertárias da Europa e da América Latina, valorizando o aspecto mobilizador da religião e da teologia que se voltam para as questões sociais, especialmente dos mais penalizados. Vale ler sua leitura positiva da encíclica sobre a ecologia integral do Papa Francisco e também avaliar algumas observações críticas que ajudam a aprofundar as intuições básicas do texto papal. O atual texto saiu na Revista espanhola Exodo de 2015. (Leonardo Boff)

Leonardo Boff

MICHAEL LÖWY é um dos mais criativos e fecundos intelectuais brasileiros. De ascêndencia hebraica, nasceu no Brasil em 1938 mas passa grande parte do tempo em Paris como Diretor de Pesquisa do Centre National de la Recherche Scientifique. Faz frequentes viagens ao Brasil para cursos e assessorias acompanhando de perto as política nacional, sempre numa perspectiva libertadora. É um dos melhores conhecedores da Teologia da Libertação com obras que cabe serem lidas e estudadas: Marxismo e Teologia da Libertação, Cortez, São Paulo 1991; A guerra dos deuses: religião e políticas na América Latina, Vozes 2000; Redenção e utopia:o judaismo libertador na Europa Central. Companhia das Letras, Rio de Janeiro 1989 entre outros. É um dos fundadores do ecosocialismo em nivel internacional e lançou em 2014 o livro O que é o ecossocialismo? Editora Cortez, São Paulo. Representa um marxismo aberto e humanista sempre em diálogo com as correntes…

Ver o post original 1.960 mais palavras

Os explicadores do Brasil.

agosto 17, 2015

De Leonardo Boff: Os explicadores do Brasil.

Leonardo Boff

Eduardo Hoornaert é um conhecido historiador da Igreja e da história do Brasil na perspectiva das vítimas. É belga e vive no Brasil praticamente toda a sua vida, trabalhando e pesquisando no Nordeste. Interessa-se especialmente pela cultura popular e por sua sabedoria. Publicamos aqui este texto que nos ajuda a refletir e nos tornar críticos face às pressões político-ideológicas dominantes no atual momento. LBoff

**************************

No momento pipocam por toda parte explicações da situação atual no Brasil, principalmente na Internet, mas também na rádio, na TV e nos jornais. Enumero algumas:

O Brasil está em crise. Nos grandes meios de comunicação, essa afirmação é hoje um postulado. Mas não se explica o que se entende por ‘crise’. Em 1939, quando eu tinha 9 anos, o país em que nasci estava em ‘crise’: as pessoas estocavam alimentos e todos sentiam que a guerra se aproximava. Isso era crise. Neste…

Ver o post original 1.168 mais palavras

Somos feias mas estamos aqui: nou lèd, nou la

agosto 17, 2015

De Leonardo Boff​: “Somos feias mas estamos aqui: nou lèd, nou la”

Leonardo Boff

Uma das histórias mais comovedoras que tenho lido ultimamente vem de uma escritora haitiana, nascida em 1969, vivendo há muitos anos nos USA: Edwidge Danticat.(ver em perterjose604@yahoo.com.br). Fundamentalmente conta as histórias que ouviu de sua avó negra, nas longas noites dos apagões costumeiros do pobre Haiti.

Numa daquelas noites, a avó, entre muitas outras histórias, contou também aquela que ficou na memória do povo até os dias de hoje: o trágico destino de Anacaona. Era a rainha da tribu dos Arauaque, poeta, pintora e dançarina. Governava a parte oeste da ilha, chamada de Ayiti que na lingua indígena original significava “terra de grandeza” pela exuberância de sua paisagem verde.

Todos viviam tranquilos naquela parte, até que, por mar, chegaram, traiçoeiros, os espanhóis sedentos de riqueza e de ouro. Saqueavam e matavam em função de sua ganância. Assim que logo prenderam a rainha Anacaona. Foi estuprada e morta…

Ver o post original 660 mais palavras

Gatos

agosto 9, 2015

Muitos (ou todos) desejam, mas NENHUM ser humano jamais conseguirá igualar um gato em beleza, graciosidade, elegância e charme!!!Tigrinhos do Paulo