Archive for outubro \21\UTC 2013

outubro 21, 2013

“Acho que a chave para entender o impasse nos países árabes, nos últimos 30 ou  40 anos, é o desaparecimento da esquerda secular. Sobrou uma oposição pró-Ocidente, corrupta e os islamistas fundamentalistas. É uma tragédia”.  – Slavoj Zizek, filósofo.

Anúncios

Trecho do artigo “Meu caro Chico”, do jornalista e biógrafo Mário Magalhães

outubro 21, 2013

“(…) Concordo: é inaceitável a impunidade de biógrafo leviano ou criminoso que difunda informação “infamante ou mentirosa”. Mas a decisão tem de ser da Justiça, e não de censura prévia. Se o Judiciário é lento e a lei dócil com difamadores, aperfeiçoemos ambos. Somos contra o indulto de Natal porque, entre milhares de presos, meia dúzia foge? Crimes pontuais não devem abolir direitos coletivos. O conhecimento da história consagra-se como direito humano. Roberto Carlos é, sim, dono da vida dele. Mas não é dono da história.” Trecho do artigo “Meu caro Chico”, do jornalista e biógrafo Mário Magalhães, publicado em 17/10/2013 no jornal O Globo.

Trecho do artigo “País estranho”, de Aldir Blanc

outubro 20, 2013

“(…) É um país onde Unidades de Pacificação sequestram, torturam, matam e somem com os corpos dos interrogados. Um país no qual meninas e moças são estupradas e mortas todos os dias. Na sua pátria, Danilo, investigam-se quase 200 traficantes que aterrorizavam São Paulo, mas será feito de tudo para encobrir que as maiores autoridades desse estado estão envolvidas num escândalo que faturou tanto ou mais que o tráfico, em conluio com empresas alemãs (…)” – Trecho do artigo “País estranho”, de Aldir Blanc, publicado hoje (20/10/13) na grande imprensa.

Discordo da “tática” do “quanto pior, melhor”

outubro 18, 2013

Como já declarei antes, eu discordo da “tática” do “quanto pior, melhor” de alguns companheiros (em geral, Bakuninistas). De que serve provocar a reação das forças conservadoras se elas são em muito maior número? Além disso, determinadas ações acabam sendo facilmente infiltradas por pessoas sem nenhuma ideologia, só com o intuito de “diversão” depredando bens (alguns do patrimônio público, que pertencem a todos nós!), ou pior ainda, por inimigos da revolução popular (fascistas e/ou infiltrados das forças “da ordem”, etc). O resultado dessas ações só pode ser negativo: joga a imensa maioria da população alienada e apolítica contra os movimentos de reivindicação e fortalece o pensamento conservador e retrógrado dos velhos lambe-botas dos milicos, saudosos das ditaduras e arbitrariedades.

Documentário “A escala humana”

outubro 3, 2013

Confesso que eu ainda não conhecia o trabalho (magnífico) do arquiteto e urbanista dinamarquês Jan Gehl. Antes tarde do que nunca, porém, vim a conhecê-lo e fiquei maravilhado, graças ao documentário “A escala humana”, atualmente em exibição no Festival do Rio (de cinema). Assisti no sábado passado (28/9), no CCJF, mas ainda vai ter + 2 sessões: dia 5/10 no Estação Vivo Gávea e dia 9/10 no Oi Futuro Ipanema. Recomendo fortemente a todos os interessados no futuro das cidades, do convívio humano, nos novos paradigmas econômicos e ecológicos… enfim, no futuro da nossa sociedade.

Art. 29 da lei 9.605/98:

outubro 2, 2013

Art. 29 da lei 9.605/98:

Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida:

Pena – detenção de seis meses a um ano, e multa.