O Brasil e a Indústria da Morte

“O Brasil e a Indústria da Morte”
Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais.

Sustentabilidade e Democracia

vilencias_e_bozoFoto: Em sentido horário, crime ambiental em Brumadinho-MG, Bolsonaro defendo matar petistas em campanha no Acre, carro onde foi executada Marielle Franco, família de Bolsonaro confraternizando com família milicianos.

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais.

O exílio forçado do Deputado Federal Jean Wyllys (PSOL/RJ) já seria suficiente para envergonhar qualquer país. Com trabalho reconhecido internacionalmente em defesa da diversidade sexual e dos direitos humanos, Jean tem sido vítima constante de ameaças pelas milícias do Rio de Janeiro. Depois do assassinato de Marielle Franco, também do PSOL, e das seguidas ameaçadas ao seu outro companheiro de partido, Marcelo Freixo, Jean decidiu proteger a sua vida e por isto não pode ser criticado ou condenado. Até porque a morte, no Brasil, virou um grande negócio. O seu nome simplesmente aparecia num grupo de discussões de magistrados como alguém que deveria ser eliminado.

Mata-se aqui e muito…

Ver o post original 660 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: