LICENCIAMENTO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE DESENVOLVIMENTO

LICENCIAMENTO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE DESENVOLVIMENTO – Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais, ex-Secretário de Meio Ambiente de Rio Grande/RS.

Não são raras as vezes em que o licenciamento ambiental de atividades econômicas é tratado como o principal “vilão do desenvolvimento”. Trata-se de uma visão equivocada, normalmente assentada sobre dois alicerces que são a incompreensão do processo de licenciamento ambiental e a incorreção conceitual sobre desenvolvimento.

É comum vermos a confusão entre desenvolvimento e o simples crescimento da economia. A matemática errada é traduzida da seguinte forma: mais produção, maior crescimento do PIB, maior o desenvolvimento. Trata-se de uma ideia superada pelas visões mais complexas que incorporam elementos como educação, saúde, qualidade de vida, distribuição e direitos fundamentais. Desenvolvimento, de forma sintética, é a plena realização dos potenciais humanos e sociais. Logo, não é um conceito matemático, mecânico, mas uma expressão que carrega junto a perspectiva da inclusão, do equilíbrio e da distribuição de oportunidades.

Qual é o país mais desenvolvido, aquele onde poucos possuem qualidade de vida e a economia cresce em patamares elevados ou aquele onde existe maior distribuição de renda, maior qualidade de vida e a atividade econômica possui uma perspectiva de evolução equilibrada? Vale à pena destruir todo a nossa biodiversidade e transformar o planeta em um deserto, ou é melhor garantir a conservação do patrimônio ambiental e pensar nas futuras gerações e na preservação das outras espécies? A palavra-chave para entender o desenvolvimento é equilíbrio. Sem equilíbrio, sem qualidade de vida e sem distribuição dos benefícios derivados da atividade social, não temos desenvolvimento, mas o mero crescimento da atividade econômica.
(continua; clique no linque para ler mais)

Sustentabilidade e Democracia

2016-12-07-o-impacto-da-tecnologia-na-sustentabilidade-780x408

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais, ex-Secretário de Meio Ambiente de Rio Grande/RS.

Não são raras as vezes em que o licenciamento ambiental de atividades econômicas é tratado como o principal “vilão do desenvolvimento”. Trata-se de uma visão equivocada, normalmente assentada sobre dois alicerces que são a incompreensão do processo de licenciamento ambiental e a incorreção conceitual sobre desenvolvimento.

É comum vermos a confusão entre desenvolvimento e o simples crescimento da economia. A matemática errada é traduzida da seguinte forma: mais produção, maior crescimento do PIB, maior o desenvolvimento. Trata-se de uma ideia superada pelas visões mais complexas que incorporam elementos como educação, saúde, qualidade de vida, distribuição e direitos fundamentais. Desenvolvimento, de forma sintética, é a plena realização dos potenciais humanos e sociais. Logo, não é um conceito matemático, mecânico, mas uma expressão que carrega junto a perspectiva da inclusão, do…

Ver o post original 710 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: